Apresentando

Apresentando
Apresentando os clássicos da Sociologia ao meu lado. Da esquerda para a direita: Karl Marx, Èmile Durkheim, Max Weber e Florestan Fernandes

quarta-feira, 25 de julho de 2012

Professor Antonio Candido, completa 94 anos

Uma justa homenagem ao Professor Antônio Cândido.

Por Florestan Fernandes Junior

O mais importante intelectual brasileiro, Antonio Candido completou 94 anos nesta terça-feira (24/7). Ele confessa: não gosta e não conhece o mundo virtual. O professor prefere manter os hábitos do passado. Lê muito: poemas, romances e criticas literárias, mas quase nada de noticias de jornais. Acho que este deve ser o segredo da longevidade do mestre. 
Divirta-se com esta bela entrevista que Antonio Candido deu para um grupo de jornalistas na Flip, no mês passado.

quarta-feira, 18 de julho de 2012

10%: pouco e muito, por Cristovam Buarque

O Brasil, sexta economia do mundo, tem renda anual de R$ 4,3 trilhões. De acordo com o Banco Central, o valor das dívidas corresponde a 43,3% da renda das famílias no ano. O governo abre mão de aproximadamente R$ 116 bilhões, quase 3% do PIB, sob a forma de incentivos fiscais todo ano. Desse montante no ano passado, R$ 20 bilhões só na indústria automobilística.
Somente os Poderes Legislativo e Judiciário necessitam de quase R$ 30 bilhões por ano. Estima-se que os investimentos da Copa, Olimpíadas, Trem Bala e Belo Monte vão exigir R$ 167 bilhões, ao longo de alguns anos. O gasto com o INSS é da ordem de 7,2% do PIB e os serviços da dívida pública consomem 5,1% do PIB.
Há recursos para gastar 10% do PIB com educação (4,9% além dos atuais 5,12%), bastaria mudar as prioridades. A questão central é se há prioridade maior para a educação, em comparação com os demais setores. Mas o menosprezo brasileiro com a educação é cultural.
Por alguma razão na formação do espírito nacional, não consideramos educação como indicador de riqueza de uma pessoa, nem do conjunto dos brasileiros. Ser culto não é visto como um indicador de status social. Os educadores e os filósofos são poucos valorizados.

Leia na íntegra o artigo no site O GLOBO

sexta-feira, 13 de julho de 2012

Compromisso com a Educação!

Olá amigos (as)
Venho comunicar aos colegas Educadores (as), Estudantes e amigos, que tomei uma importante decisão; sou candidato a vereador pelo P.D.T, o Partido da Educação em Tempo Integral, o partido que carrega na sua bandeira o desenvovimento Educacional e a emancipação do cidadão. Vamos nos unir para que a nossa Câmara de vereadores possa ter uma voz firme para defender a Educação, a Cidadania a Ética e a Transparência. 
Sou o PROF.CARLOS - Nº 12.012. Obrigado!

PROFESSOR CARLOS
12.012
Formado em Ciências Sociais pela (U.E.L) Universidade Estadual de Londrina, licenciado em Sociologia, Especialização em Educação: Métodos e Técnicas de Ensino pela UTFPR e Gestão Escolar. Atualmente Professor da Rede Pública fixado no Colégio Estadual de Paranavaí, tendo lecionado em várias Instituições do Município, como: Col. Leonel, Col. Marins, Unidade Pólo,  Enira, Moraes, Ceebja Pvai, Adélia Rossi e Sílvio Vidal.
Em meados da década de 90 participei ativamente do Movimento Estudantil e posteriormente na Universidade Estadual de Londrina.

“COMPROMISSO COM A EDUCAÇÃO!”

quinta-feira, 5 de julho de 2012

Senado deve manter 10% do PIB para a educação


O Senado deve manter a fixação da meta de 10% do Produto Interno Bruto (PIB) para investimento em educação pública nos próximos dez anos.
Líderes governistas avaliam que, após a votação da proposta com esse porcentual na Câmara, seria impopular alterá-la.
A proposta foi aprovada anteontem, dentro do Plano Nacional de Educação (PNE), em comissão especial pelos deputados federais e, como tem caráter terminativo, deve seguir diretamente para o Senado, antes de ir para a sanção da presidente Dilma Rousseff.
O Ministério da Educação (MEC) classificou como "tarefa política difícil" cumprir o porcentual fixado pela comissão da Câmara. "Em termos do governo federal, equivale a colocar um MEC dentro do MEC, ou seja, tirar R$ 85 bilhões de outros ministérios para a Educação", disse, em nota, o ministro Aloizio Mercadante.
Objetivos
O PNE define 10 diretrizes e 20 metas para os próximos 10 anos, entre elas a valorização do magistério público da educação básica, a triplicação do número de matrículas da educação profissional técnica de nível médio e a destinação dos recursos do Fundo Social do pré-sal para o ensino.
A 20.ª meta, que trata do financiamento de educação, estabelecia originalmente que se chegasse a um patamar de 7% do PIB em investimento em educação ao final do decênio - atualmente, o setor recebe 5%. 
FONTE: ESTADÃO