Apresentando

Apresentando
Apresentando os clássicos da Sociologia ao meu lado. Da esquerda para a direita: Karl Marx, Èmile Durkheim, Max Weber e Florestan Fernandes

quarta-feira, 2 de agosto de 2017

Mais um capítulo do golpe!




"A história se repete, a primeira vez como tragédia e a segunda como farsa" (Karl Marx 1818-1883)

Não sei o que é pior: ausentar-se de uma votação importante como essa ou votar a favor do arquivamento das denúncias que pesam contra o ilegítimo e usurpador Michel Temer. Agora cabe-nos a dar o troco nas próximas eleições e não cair mais nas “conversinhas” de campanha, pois logo estarão por aqui abraçando o povo e prometendo o “mundo e o fundo”. É preciso compreendermos que os mesmos que votaram, na ocasião do impeachment da ex presidenta Dilma, que comprovadamente não cometeu crime algum, agora cravaram o voto pelo SIM da impunidade e pela continuidade de uma velha política que ainda insiste a se perpetuar. No entanto, denúncias comprovadas com fotos, vídeos e áudios, não bastaram para convencer uma parcela do pior congresso da história republicana. Parabéns aos/às nossos/as representantes que ainda resistem e lutam diuturnamente a favor dos que mais precisam no nosso país! FORA TEMER!

 (Professor Carlos - vereador pelo PT)
                2017-2012

terça-feira, 11 de julho de 2017

Cadê o barulho das panelas?

O que me deixa mais perplexo é entender a fúria de boa parte de uma geração com menos de 30 anos nas jornadas de junho de 2013, na crítica destrutiva ao PT em 2014, nos coxinhaços de 2015 e saber que no dia de hoje, apenas um grupo de Senadoras com mais de 50 anos foi a única força social e política na defesa dos direitos trabalhistas das mais jovens e dos mais jovens, que ainda teriam pela frente muitos anos de direitos trabalhistas em suas vidas e trajetórias. Cadê todas aquelas gentes urbanas raivosas de 2013, cadê aquelas jovens mulheres líderes do MPL, tão badaladas e discutidas em 2013, tão energizadas contra os 0,20 centavos do Haddad, cadê a turma da Sininho nos protestos do Rio de Janeiro, cadê as mulheres e jovens dos coxinhaços quando souberem que nem o direito de ficarem gestantes em ambientes salubres terão, suas filhas e netas ficarão na insalubridade, precarização e terceirização, que sina para ess(e)as jovens. Cadê os manifestantes que cercaram o Congresso e o Itamaraty em tempos idos ? Cadê Marina e Luciana Genro hoje ? Alô feministas. Tudo isso também mostra a diferença imensa entre uma velha senhora como Dilma e o golpista Temer, seus ministros, seus congressistas tão misóginos e tão dispostos a roubarem o que podem dessas jovens massas trabalhadoras com menos de 30 anos de idade. Agora saberão que Dilma não era mesmo igual a Temer e o inverno do assalto, congelamento e desmonte dos serviços públicos só vai arrebentar mesmo no final desse ano.

Ricardo Costa de Oliveira, professor de Ciência Política da UFPR.

sexta-feira, 5 de maio de 2017

Feliz aniversário ao grande pensador das humanidades Karl Marx (18018-1883)

Hoje é aniversário do nascimento de Karl Marx. Ele nasceu em Trier (Alemanha), a 5 de maio de 1818 e faleceu em Londres a 14 de março de 1883. A propósito da data lembramos que Marx continua pra nós uma referência fundamental, de conteúdo e de forma, de visão de mundo e de postura, para pensar os desafios do momento atual na perspectiva mais radical de superação do modo de produção capitalista ou da ordem do capital. E pensar continuando Marx e não o congelando pela repetição ao cansaço de seus textos, suas ideias.
Karl Marx não foi um pedagogo ou um pensador da educação. Seu objeto de estudo e de militância foi a lógica de funcionamento estrutural da sociedade capitalista, e as possibilidades de uma revolução socialista comandada pela classe trabalhadora. Mesmo assim podemos falar de um legado específico de Marx para nós que trabalhamos com educação. Porque ele foi um pensador do todo da história, porque foi (e continua sendo através de sua obra) um grande educador dos trabalhadores e porque também se preocupou com as questões de educação e de escola da sua época. A grandiosidade de sua obra, produzida pela combinação fecunda entre disciplina de estudo e militância política, são ainda hoje uma referência obrigatória para a teoria e a prática de uma educação e de uma escola que se coloquem a serviço da transformação social e da emancipação humana.