Apresentando

Apresentando
Apresentando os clássicos da Sociologia ao meu lado. Da esquerda para a direita: Karl Marx, Èmile Durkheim, Max Weber e Florestan Fernandes

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Evento PDT - EDUCAÇÃO ACIMA DE TUDO!


A Fundação Leonel Brizola/Alberto Pasqualini, tem a honra de convidá-lo(a) para o Seminário “EDUCAÇÃO ACIMA DE TUDO”, com o senador Cristovam Buarque, ex-ministro de educação e o deputado Ângelo Vanhoni, relator do Plano Nacional de Educação 2011/2020.
Dia: 03 de março de2012 (sábado)
Horário: 8h30 às12h30
Local: Universidade Federal do Paraná, UFPR (Campus Jardim Botânico)
Auditório de Ciências Sociais Aplicadas
Av. Prefeito Lothário Meissner, 632, Curitiba, Pr.

Inscrições gratuitas pelo site: www.pdtcuritiba.org.br.

Os participantes receberão certificado.

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Por que o Ensino de Sociologia incomoda?

Matéria reproduzida do site: http://dilsonnovosdesafios.blogspot.com

Esta atividade se refere ao debate sobre a obrigatoriedade do ensino de Sociologia nas escolas, aprovado em 2006. Leia o trecho abaixo extraído do nosso livro didático e analise o discurso da revista Veja. Em seguida, comente a qu estão:
"Para Pierre Bourdieu, sociólogo francês contemporâneo, a Sociologia, quando se coloca numa posição crítica, incomoda  muito, porque, como outras ciências humanas, revela aspectos da sociedade que certos indivíduos ou grupos se empenham em ocultar. Se esses indivíduos e grupos procuram impedir que determinados atos e fenômenos sejam conhecidos do público, de alguma forma o esclarecimento de tais fatos pode perturbar seus interesses ou mesmo concepções, explicações e convicções".
Ora, uma das preocupações da Sociologia é justamente formar indivíduos autônomos, que se transformem em pensadores independentes, capazes de analisar o noticiário, as novelas, a televisão, os programas do dia a dia e as entrevistas das autoridades, percebendo o que se oculta nos discursos e formando o próprio pensamento e julgamento sobre os fatos, ou, ainda mais importante, que tenham a capacidade de fazer as próprias perguntas para alcançar um conhecimento mais preciso da sociedade à qual pertencem. (TOMAZI, N. Sociologia para Ensino Médio, p. 7. 2007)

Clique no site: Novos Desafios da Sociologia

sábado, 25 de fevereiro de 2012

Campanha salarial 2012!

Munidos de cálculos e argumentos, a APP se prepara para a campanha salarial. A data-base para o reajuste é em maio. O governo se comprometeu a cumprir com 5,5% da inflação. Porém a APP defende percentual maior. Para os professores, o cálculo é feito assim: o Piso Salarial Profissional Nacional (PSPN) está firmado em R$ 1.187,97. O MEC, através de portaria ministerial, impõe um reajuste de 22,23% (R$ 1.452,06). No Paraná o piso é R$ 1223,62, ou seja, ainda faltam cerca de 18% para alcançar o índice. Em outubro haverá a segunda parcela da equiparação, de 5,97%. Saldo final: reivindicação de 6,15% de reajuste a fim de alcançar o PSPN. Para os funcionários, que não possuem PSPN nem equiparação salarial, a entidade decidiu utilizar o índice de reposição do salário mínimo, de 14,13%.

NOSSAS REIVINDICAÇÕES PARA 2012!

1 - Piso / Data-base / Equiparação
2 - Reajuste para funcionários de 14,13%
3 - 33% de hora-atividade já!
4 - Novo modelo de atendimento à saúde
5 - Ampliação dos direitos do Plano de Carreira dos professores e funcionários
6 - Novos concursos públicos
7 - Redução do número de alunos
8 - Educação pública de qualidade

FONTE: SITE DA APP

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

15 de março é dia de paralisação estadual

Atividade faz parte da greve nacional, convocada pela CNTE, em defesa do Piso, 10% do PIB para educação e carreira

No dia 15 de março, as escolas da rede pública estadual do Paraná vão parar. Na data, os trabalhadores em educação participarão da mobilização que ocorre em todo o país, e é convocada pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), em defesa da correta aplicação da Lei do Piso, do investimento de 10% do Produto Interno Bruto na educação e na luta por melhorias na carreira dos educadores.
Nacionalmente, a greve dura três dias: 14, 15 e 16 de março. No Paraná, a categoria decidiu paralisar as atividades apenas no dia 15. No dia 14, acontecerão debates nas escolas sobre hora-atividade, saúde e condições de trabalho. No dia 16, os educadores farão, em suas próprias escolas, debates e avaliações da mobilização. Este ano, os educadores da rede pública estadual de ensino já fizeram uma grande mobilização, no dia 9 de fevereiro, quando mais de 90% da rede aderiu a paralisação parcial e discutiu a pauta de reivindicações da categoria.
Veja, abaixo, os itens defendidos pelos educadores do Paraná:
:: A implantação de um terço da hora-atividade, como determinada a pela Lei do Piso - Desde 1996, a APP encabeça a luta dos educadores do Paraná por este direito. Em 2001, após uma greve no ano anterior, foi conquistado o percentual de 10% de hora-atividade. Em 2003, percentual foi ampliado para 20%, depois de uma intensa negociação com governo da época. Em 2008, os educadores de todo o país conseguiram a publicação da Lei Nacional 11.738, que institui o Piso Salarial Profissional Nacional (PSPN) e o um terço de hora-atividade. Agora, a luta é para implantar este direito no Estado.
:: Implantação do reajuste do Piso Nacional  de 22,22 % na tabela de vencimentos dos professores do Paraná - Em 2011, alcançamos o valor do PSPN no Paraná com a reposição de 6,5% (ocorrida na data-base) e mais 3% (setembro, retroativo a julho). A legislação nacional estabelece um reajuste anual do Piso Nacional, que, para este ano, foi calculada pelo próprio Ministério da Educação (de acordo com a CNTE) em 22,22 %. E este é o percentual que a categoria reivindica.
Veja matéria compelta no site da APP

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

Hora atividade já! A Educação tem pressa!

O Núcleo sindical da APP de Paranavaí realizou hoje no calçadão, um ato público para cobrar o cumprimento da lei que estabelece 33% de hora atividade destinada para o estudo e a preparação das aulas, a manifiestação teve uma excelente adesão por parte dos Educadores/as e por populares que observaram e aderiram o manifesto ordeiro e significativo da nossa categoria. Além da hora atividade, o ato também reivindicou: implementação da correção do piso, adequações das carreiras dos funcionários/as e a vergonhosa saúde dos educadores/as e demais servidores.

Veja algumas fotos abaixo: