Apresentando

Apresentando
Apresentando os clássicos da Sociologia ao meu lado. Da esquerda para a direita: Karl Marx, Èmile Durkheim, Max Weber e Florestan Fernandes

quinta-feira, 29 de agosto de 2013

30 de Agosto de 1988.


Como fazem tradicionalmente, há mais de duas décadas, no dia 30 de agosto de cada ano os Educadores (as) do Paraná paralisam as atividades e realizam uma caminhada rumo ao palácio do governo. Em 2013, ano que antecede as eleições estaduais o ato se reveste de um caráter ainda mais especial: mostrar aos governantes, e aos pré candidatos, que o lamentável ato cometido em 1988 em pleno governo do então senador Alvaro Dias, jamais volte a se repetir no Paraná ou em qualquer outro estado brasileiro. 

Entre os itens que serão encaminhados ao governo estão as seguintes reivindicações:
 
QFEB
Promoções e progressões em atraso desde julho de 2012
Total mensal: R$ 3.972,196,90 (incluindo o ProFuncionário em atraso)
Progressão de agosto de 2013
Devido a quem: 15.794 agentes educacionais
Total: R$ R$ 2.763.508,93
Enquadramento de 3,8%
Devido a quem: 17.862 agentes educacionais
Total: R$ R$ 1.495.513,78
Total mensal: R$ 8.231.219,50
Total geral acumulado (de julho de 2012 a agosto de 2013): R$ 26.535.802,39
QPM
Promoções e retificações de progressões em atraso desde julho de 2012 a agosto de 2013
Total mensal: R$ R$ 1.458.044,20
Promoção de PDE 2010
Total acumulado: R$ 6.741.925,28
Promoção de PDE titulados da turma de 2011 e 2012
Total acumulado: R$ 924.787,51
Total geral acumulado (de julho de 2012 a agosto de 2013): R$15.534.749,13
QFEB e QPM
Total devido ao QFEB e QPM relativo a avanços: R$ 42.070.551,52
QPM
Diferença, mensal, de 0,60% do Piso: R$ 1.700.000,00
Total de maio a agosto de 2013: R$ 6.800.000,00
TOTAL GERAL DA DÍVIDA COM OS EDUCADORES (AS).
R$ 48.870.551,52


Mais de 60 ônibus, micro-ônibus e vans trarão as dezenas de caravanas do interior do Estado para participar do ato em Curitiba, que tem concentração marcada para as 09h, na Praça Santos Andrade. Em Paranavaí, três ônibus levam os Professores para a grande mobilizaçao em Curitiba. 

"fazer uma mobilização histórica este ano para marcar os 25 anos do ‘Dia de Luto e de Luta’, como também para cobrar a resolução da nossa pauta, tanto dos professores e professoras, como dos funcionários e funcionárias, da ativa e aposentados”, afirma a presidenta da APP, professora Marlei Fernandes de Carvalho".

quinta-feira, 11 de julho de 2013

ATO PÚBLICO EM PARANAVAÍ



O emblemático 11 de Julho, aqui em Paranavaí , assim como em várias cidades do Brasil, foi marcado por uma mobilização democrática que reuniu, no calçadão da Souza Naves, dirigentes sindicais, representantes de movimentos sociais, comerciários, estudantes, professores, trabalhadores de várias categorias e cidadãos e cidadãs que passavam pelo centro. O ato fez parte de uma grande mobilização nacional encampada pelas centrais sindicais e pelos movimentos sociais organizados.

quinta-feira, 4 de julho de 2013

Vamos pra rua!

Texto: Prof. Carlos


O GIGANTE ACORDOU?

Acordou bravo, não pelo barulho, dessa vez, ele despertou pelo silêncio ensurdecedor da sociedade brasileira, que diante de tantas injustiças sociais, cometidas desde a colônia, tem travado uma longa jornada de lutas incessantes, enfrentando os coronéis das velhas oligarquias, avançando com garra pela República que se dizia “nova” e que de repente reaparece como o um raio inesperado numa noite silenciosa para tomar as ruas, gritar, clamar por reformas, pede o fim da impunidade, da corrupção, conclama a melhoria e mais investimentos nos serviços públicos. Bem, as pautas são muitas, mas o sentimento é único; esperança em dias melhores, um país mais justo. Esse gigante, como vimos, já lutou muito, lutou contra a exploração dos nossos recursos naturais, lutou pela abolição dos escravos, pelo voto feminino, pelo petróleo, pelos trabalhadores, lutou pela liberdade de expressão, foi implacável e valente durante o período ditatorial, lutou pela anistia, e pelo sufrágio universal, pelo sagrado direito de ir às urnas e escolher livremente seus governantes. O gigante permaneceu atento, tirou presidente e pediu ética na política, clamou pelo fim da inflação, pediu reforma agrária e paz no campo. No entanto, reconhecemos, o Gigante cochilou sim, mas trouxe, nesse novo despertar, algo surpreendente, que até agora tem tirado o sono da classe política e até mesmo de uma grande parte de intelectuais, pois, o fato é que esse gigante adquiriu uma força sublime, encontrou uma geração que ainda não o conhecia, apenas ouvira falar, e assim se deu um encontro histórico entre o gigante e seu próprio criador.
VAMOS PRA RUA, VIVA O POVO BRASILEIRO, VIVA A JUVENTUDE, VIVA A DEMOCRACIA, O GIGANTE DEFINITIVAMENTE ACORDOU. 





sexta-feira, 21 de junho de 2013

É bem vindo! Amanhã será outro dia!


A participação de bandeiras partidárias nas manifestações é legítima e democrática, afinal, quero deixar aqui um esclarecimento que deve ser entendido pelos manifestantes: a hostilidade contra movimentos sociais e partidos políticos é um verdadeiro retrocesso, na breve história republicana, precisamos entender que a conquista da democracia foi realizada através de muita perseguição, torturas e mortes, muitos pagaram com a vida e os que sobreviveram continuam lutando, agora por justiça social, como diz um dos cartazes da manifestação: a juventude de 68 apoia a juventude de 2013. Portanto que fique claro e insisto nessa análise; a pluralidade de partidos é uma conquista nossa, e das gerações passadas, proibir a permanência de bandeiras partidárias ligadas à direta, à esquerda ou ao centro fortalece e não diminui e muito menos desqualifica as mobilizações,  já que o descontentamento presente, nesse novo formato de movimento social, nos mostra que a insatisfação não está numa pessoa ou em um determinado partido, embora reconheço o enfraquecimento do ponto de vista ideológico de algumas siglas, e outras tantas que se quer sabem de lado estão. Entretanto, eu deixo aqui minha singela opinião; ou mudamos a nossa atitude ou caminharemos a passos largos rumo ao fascismo e que façamos uma reflexão do filósofo e pensador político italiano, Antonio Gramsci: os ''partidos'' podem se apresentar como os mais diversos nomes, incluindo o de antipartido ou de ''negação''. 
VIVA A DEMOCRACIA, VIVA A JUVENTUDE E VIVA O POVO BRASILEIRO!

sábado, 4 de maio de 2013

Aberta as inscrições - Cursos Técnicos GRATUITOS do IFPR.




APROVEITE ESSA EXCELENTE OPORTUNIDADE

São cursos Técnicos Profissionalizantes totalmente GRATUITOS, com possibilidade de recebimento de ajuda de custo, firmados em parceria com o PRONATEC (Programa Nacional de acesso ao Ensino Técnico e Emprego). O IFPR conta com equipamentos e laboratórios de última geração por isso oferece um ensino técnico de qualidade.

quinta-feira, 25 de abril de 2013

Mobilização dos Professores do NRE de Paranavaí.

 REIVINDICAÇÕES - A mobilização dos professores do Paraná reivindica a criação de um novo modelo de atendimento à saúde dos servidores, o cumprimento do Piso Salarial Nacional, o pagamento da data-base conforme o reajuste dado ao mínimo regional (entre 12 e 12,5%), atenção especial ao porte de escolas, a realização de concurso para funcionários de escola e a aprovação dos projetos de lei complementar - que já tramitam na Assembleia Legislativa (Alep) - com a regulamentação do 1/3 de hora-atividade e do plano de carreira dos agentes escolares.

Cerca de 90% dos professores da rede estadual, área de abrangência do Núcleo Regional de Educação de Paranavaí, aderiram a paralisação proposta pela categoria nacionalmente. Para os manifestantes, o índice foi um pouco maior, chegando a 95%. No Paraná, o movimento foi liderado pela APP-Sindicato. Um ato no calçadão marcou a manifestação em Paranavaí. No caso dos demais funcionários da educação, a adesão foi menor. De acordo com o Núcleo de Educação, ficou na casa dos 50%. Na região não houve informação sobre índices de adesão desses servidores. Com índice considerado satisfatório, embora sem adesão total, a mobilização conseguiu o intento de suspender as aulas na rede pública estadual, já que, em linhas gerais, os alunos não compareceram. 

Ver matéria na íntegra, no jornal DIÁRIO DO NOROESTE            

domingo, 3 de março de 2013

Agressão sofrida por professora reacende debate sobre violência na escola



Caso como esse não pode ser ignorado pelo poder público e muito menos pela própria vítima que é uma excelente profissional da Educação, conhecida pela sua competência na área do magistério municipal e estadual. Mesmo entendendo que os Educadores tem receio de represálias tanto por parte dos agressores como também, muitas vezes, pela própria secretaria do município, é preciso denunciar essa prática perversa que pode levar o fim de uma carreira brilhante de amor e dedicação pela Educação.

Ver matéria completa no site do DIÁRIO  DO NOROESTE


“Infelizmente uma parcela significativa de professores estão fazendo tratamento médico em decorrência do estresse da sala de aula. O pior é que uma quantidade muito maior está no limite e a beira de ter problemas de saúde por causa disso”.
(APP- Paranavaí- Pr.)