Apresentando

Apresentando
Apresentando os clássicos da Sociologia ao meu lado. Da esquerda para a direita: Karl Marx, Èmile Durkheim, Max Weber e Florestan Fernandes

quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Eleição para Diretores

O Governador em exercício e Secretário da Educação do Paraná, Flávio Arns, anunciou nesta terça-feira (30), durante reunião com representantes da APP-Sindicato, no Palácio das Araucárias, em Curitiba, que as eleições para diretores das escolas da rede pública de ensino do Paraná vão ocorrer no dia 24 de novembro.

A confirmação do pleito segue a legislação vigente que determina a consulta junto à comunidade escolar para definir os seus representantes na Direção da escola. "Decidimos pela data do fim de novembro para não coincidir com a Prova Brasil, que ocorre no fim de outubro, mas pode atrasar. Pedagogicamente não é bom que 
as duas ações coincidam nas escolas", disse Arns.


Segundo o Governador em exercício a Secretaria de Educação deve publicar hoje, dia 31 o cronograma e as regras para a eleição deste ano. O entendimento ao qual a Secretaria chegou, com auxílio de um parecer da Procuradoria Geral do Estado, é que os os atuais diretores, que tiveram um primeiro mandato em 2003, poderão concorrer para mais três anos.

terça-feira, 30 de agosto de 2011

A Sociologia e sua inserção no Ensino Básico

por Adriana Czelusniak
Sandra Maria Mattar, diretora do curso de Sociologia da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR). 
A Sociologia foi inserida como disciplina obrigatória no currículo do Ensino Médio (Lei n.º 11.684/2008). Para discutir as propostas didáticas do ensino da Sociologia, a Pontifícia Universi­dade Católica do Paraná (PUCPR) sediou o 2.º Encontro Nacional sobre o Ensino de Socio­logia na Educação Básica (Eneseb), com oficinas de propostas didáticas e painéis de pesquisas. Para a diretora do curso de So­­ciologia da instituição, Sandra Maria Mattar, o amplo debate sobre o tema é necessário e fundamental para essa fase de construção e sistematização da Sociologia nas escolas. Confira a entrevista concedida ao Educação & Ensino:

Quais as possíveis consequências dessa determinação para a área de Sociologia?
As disciplinas de Filosofia e Sociologia tornaram-se obrigatórias há pouco tempo, depois de terem sido abolidas do ensino médio em 1971, por imposição do regime militar. A volta é uma grande conquista para os profissionais da área da sociologia, pois além de representar um espaço maior em termos de mercado de trabalho, a inserção da Sociologia no ensino médio é importante para uma formação mais humanista com vistas a permitir o pleno exercício da cidadania. Os professores devem ser Licenciados em Ciências Sociais ou Sociologia.
Quais os desafios a partir de agora?
Um dos aspectos importantes na discussão do ensino da Sociologia é a delimitação do conteúdo a ser trabalhado no ensino médio. Cada sistema de ensino formula sua propostas para se adequar as novas regras. O estado do Paraná tem um documento, “Diretrizes Curriculares de Sociologia para o Ensino Médio”, que norteia a prática da Sociologia na rede estadual. São muitos os desafios tanto no que diz respeito à formação de professores, como a discussão sobre os fundamentos da sociologia como disciplina escolar, a metodologia aplicada ao ensino, os conteúdos trabalhados, os livros didáticos, a formação.

Veja a entrevista completa no site da Gazeta do Povo

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Carta Renúncia de Janio Quadros (25/08/1961)


Cinqüenta anos atrás, neste dia, Jânio Quadros renunciava à Presidência da República, apenas sete meses depois de ter sido consagrado com a maior vitória que um candidato a Presidente já havia tido na história do Brasil.
CARTA RENÚNCIA
"Fui vencido pela reação e assim deixo o governo. Nestes sete meses cumpri o meu dever. Tenho-o cumprido dia e noite, trabalhando infatigavelmente, sem prevenções, nem rancores. Mas baldaram-se os meus esforços para conduzir esta nação, que pelo caminho de sua verdadeira libertação política e econômica, a única que possibilitaria o progresso efetivo e a justiça social, a que tem direito o seu generoso povo.
Desejei um Brasil para os brasileiros, afrontando, nesse sonho, a corrupção, a mentira e a covardia que subordinam os interesses gerais aos apetites e às ambições de grupos ou de indivíduos, inclusive do exterior. Sinto-me, porém, esmagado. Forças terríveis levantam-se contra mim e me intrigam ou infamam, até com a desculpa de colaboração.
Se permanecesse, não manteria a confiança e a tranqüilidade, ora quebradas, indispensáveis ao exercício da minha autoridade. Creio mesmo que não manteria a própria paz pública.
Encerro, assim, com o pensamento voltado para a nossa gente, para os estudantes, para os operários, para a grande família do Brasil, esta página da minha vida e da vida nacional. A mim não falta a coragem da renúncia.
Saio com um agradecimento e um apelo. O agradecimento é aos companheiros que comigo lutaram e me sustentaram dentro e fora do governo e, de forma especial, às Forças Armadas, cuja conduta exemplar, em todos os instantes, proclamo nesta oportunidade. O apelo é no sentido da ordem, do congraçamento, do respeito e da estima de cada um dos meus patrícios, para todos e de todos para cada um.
Somente assim seremos dignos deste país e do mundo. Somente assim seremos dignos de nossa herança e da nossa predestinação cristã. Retorno agora ao meu trabalho de advogado e professor. Trabalharemos todos. Há muitas formas de servir nossa pátria".

Brasília, 25 de agosto de 1961
Jânio da Silva Quadros

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Paralisação 30 de agosto!


PAUTA:
a) Equiparação Salarial Piso Salarial Profissional Nacional (PSPN).
b) Saúde dos(as) Trabalhadores(as).
c) Adequação do Plano de Carreira dos(as) Funcionários(as).
d) Porte de escolas e nº de alunos por turma.
e) Não fechamento das turmas.
f) Implementação da progressão dos(as) funcionários(as) atrasados.
g) Defesa do Cargo de 40 Horas.

EM PARANAVAÍ - PR.

ATO PÚBLICO EM FRENTE AO NÚCLEO REGIONAL DE ENSINO A PARTIR DAS 09h00 – (Rua. Mal. Cândido Rondon – Centro).

terça-feira, 23 de agosto de 2011

“Valorizar o professor é o primeiro passo”

Mozart Neves Ramos, conselheiro do movimento Todos pela Educação e professor da Universidade Federal de Pernambuco.
Para Mozart Neves Ramos é im­­por­­tante que o Brasil tenha uma “fe­­bre de educação”. Enquanto na década de 80 o país esteve unido na luta pela redemocratização e nos dez anos seguintes se voltou para a estabilização da moeda e o controle da inflação, daqui para frente a prioridade deve ser a busca de uma educação de qualidade. O pesquisador esteve em Curitiba para dar uma palestra a gestores na Aymará Educação. Veja os principais 
trechos da entrevista concedida à Gazeta do Povo.
Como tornar o magistério mais atraente?
Em primeiro lugar, ter um salário inicial atraente. Hoje no Brasil um professor ganha 40% menos do que outros profissionais de mesma escolaridade. A segunda providência é ter um plano de carreira para que esse jovem se sinta motivado, desafiado, que tenha como base os resultados em sala de aula e a formação ao longo da vida. O terceiro ponto é ter uma formação inicial sólida. Temos de repensar a formação, para termos um currículo mais atraente, que de fato chegue lá no chão de escola, na sala de aula, na prática do ensino. E o quarto ponto é ter insumos necessários para todas as escolas, para uma boa relação ensino-aprendizagem. O que são esses insumos? É ter salas de aula adequadas, definir claramente número de alunos por professor, ter biblioteca atualizada, laboratórios de ciências e de informática efetivamente funcionando.

Veja a matéria completa no site da Gazeta do Povo

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Juventude não quer só comida quer também 10% do PIB para Educação

Por Patrick Baptista
A educação no Brasil historicamente tem sido um privilégio de uma pequena parcela (rica) da população brasileira. É recente em nossa história a frequência das classes populares aos bancos escolares. A lógica sempre funcionou da seguinte forma: existem uns que nascem para pensar, e aí mandar; e outros para trabalhar, e então obedecer.
A universalização do ensino público não garantiu a permanência dos trabalhadores e de seus filhos nas escolas, que em muitos casos foram obrigados a deixar de estudar para contribuir com a renda familiar. Programas como o Bolsa Família e o de combate a miséria no país evidenciam o esforço da sociedade brasileira em resolver a problemática. Assistimos os avanços que o Brasil teve nos últimos anos. No entanto, essa problemática está longe de ser sanada, pois não é apenas a permanência de crianças nas escolas que resolverá o problema do déficit educacional. A juventude cada vez mais vem sendo alijada do direito à educação, pois compartilha do mesmo problema. Programas como o Projovem miniminizam o problema, mas está longe de atingir a maior parte de jovens que evadem das escolas para trabalhar.
Outro grave problema é a desvalorização dos educadores, que a cada dia se tornam sinônimo de atividade profissional que passa longe dos sonhos da juventude brasileira. Isso porque os baixos salários, inadequadas condições de trabalho e perspectiva de ascensão na carreira incerta levam ao desestímulo e constante processo de precarização da profissão e carreira docente.

Leia o artigo na íntegra no site da APP

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Salas lotadas agora é meta!

Otimizar espaços sem interferir na qualidade da Educação Pública, talvez seja a saída mais coerente para implantar, mas o que presenciamos é justamente o contrário. No Paraná a proposta da SEED, já encaminhada para todos os NRE, é para que as Escolas mandem suas próprias necessidades de adequação das salas, pois a meta é que se tenha 35 alunos por sala, desta forma, esse governo, compromete a qualidade da Educação Pública e reacende uma das mais antigas reinvindicações da categoria que é a redução do número de alunos por turma, afinal somente quem já lecionou numa sala de 35 alunos poderá entender o quanto isso prejudica o processo de ensino aprendizagem. Portanto vamos nos unir para que essa medida não passe a vigorar, porque os espaços precisam ser otimizados para a implantação de inúmeras atividades, como sala de recurso, laboratórios, etc., e não para se criar uma superlotação de alunos com baixo aprendizado.
(Professor Carlos - Colégio Estadual de Paranavaí - Pr)

REJEIÇÃO
A proposta da Secretaria Estadual de Educação foi repudiada pela APP Sindicato. "Não concordamos, em hipótese nenhuma, que sejam unidas turmas e criada superlotação, enquanto lutamos pela diminuição do número de alunos por sala de aula. Este é o tipo de situação que os educadores não devem aceitar, pois resultará em prejuízo a todos", afirmou a presidente da APP, Marlei Fernandes de Carvalho, em nota oficial do órgão.
Ao Portal Bonde, um professor, que pediu para não ser identificado, criticou a proposta. "Essa é a qualidade de educação pública que nosso secretário de educação e governador querem implementar no Estado? Será que um dos dois já lecionaram em uma sala de aula com 40 alunos de diversos tipos de aprendizado ou de nível sócio-econômico tão distintos? Vale a pena melhorar a educação dessa forma?", ironizou o docente.
Veja matéria completa no site do Bonde

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Exames de EJA – Provão no CEEBJA Newton Guimarães - EFM


CEEBJA NEWTON GUIMARÃES – EFM
EXAMES DE EJA – PROVÃO

ETAPA 92ª - CONVENCIONAL

PERÍODO DE INSCRIÇÃO: 25/07 A 12/08

DATA DA PROVA: 24/09 (SÁBADO)

DIVULGAÇÃO DO RESULTADO: 04/11

HORÁRIO DAS PROVAS:

ENSINO FUNDAMENTAL

MANHÃ – 07H E 45MIN – MATEMÁTICA, CIÊNCIAS,GEOGRAFIA E HISTÓRIA.
TARDE – 13H E 15MIN – LÍNG. PORTUGUESA, INGLÊS, ARTE E EDUCAÇÃO FÍSICA. 

ENSINO MÉDIO

MANHÃ – 07H E 45MIN – MATEMÁTICA, FÍSICA, QUÍMICA, BIOLOGIA,
 FILOSOFIA E SOCIOLOGIA.
TARDE – 13H E 15MIN – LÍNGUA PORTUGUESA, INGLÊS, HISTÓRIA,  GEOGRAFIA,
ARTE E EDUCAÇÃO FÍSICA. 

CONDIÇÕES PARA INSCRIÇÃO:

15 ANOS – ENSINO FUNDAMENTAL
18 ANOS – ENSINO MÉDIO

PREENCHER O FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO E ANEXAR CÓPIA DE DOCUMENTO COM FOTO ( RG OU CARTEIRA DE MOTORISTA).

MAIORES INFORMAÇÕES/ CONTEÚDOS:

ETAPA ON LINE

PERÍODO DE INSCRIÇÃO: 07/11 A 11/11

DATA DA PROVA: ENSINO FUNDAMENTAL - 23/11(4ª FEIRA)
                                 ENSINO MÉDIO - 24/11(5ª FEIRA)