Apresentando

Apresentando
Apresentando os clássicos da Sociologia ao meu lado. Da esquerda para a direita: Karl Marx, Èmile Durkheim, Max Weber e Florestan Fernandes

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Senador defende em livro a verdadeira REVOLUÇÃO NA EDUCAÇÃO!

 O senador Cristovam Buarque (PDT-DF), lançou na noite de terça-feira (22), no Conselho Nacional de Educação, em Brasília, o livro "A Revolução Republicana na Educação" (Ed. Moderna/ Fundação Santillana). Na obra, o senador defende a federalização do ensino básico, a criação de uma carreira nacional de magistério, com salários de R$ 9 mil para os professores, e o aumento do gasto por aluno, entre outras medidas.
Para o senador, "é preciso fazer uma revolução e criar um novo sistema escolar" que permita, em 20 anos, colocar o Brasil em um novo patamar educacional a um custo total de R$ 464 bilhões. No livro, Buarque diz que implementou algumas das
propostas em 2003, quando esteve à frente do Ministério. "O governo só dá importância às universidades, é preciso mudar a educação básica do país", afirma. Essas propostas tramitam em projeto de lei 320/08 na Comissão de Educação do Senado.
Segundo Buarque, com a federalização da educação básica, se tira dos estados e municípios as despesas com as escolas e transfere a responsabilidade para a União, que detém mais recursos. 

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

CHAPA 2 SEMPRE...!

Em nome da nossa Chapa 2, reprentada por mim, pela Professora Irene e pelo Professor Zé Carlos, queremos agradecer imensamente a grande aceitação e votação que tivemos no CEP, por parte dos nossos alunos, professores, funcionários e comunidade.
Trabalhamos muito para levar até a comunidade da nossa Escola uma mensagem de otimismo e de esperança de uma renovação necessária em todas as áreas da nossa Escola. Saímos vitoriosos e de cabeça erguida dessa eleição, porque realizamos uma campanha justa, ética e focada na melhoria da qualidade da Educação, conseguimos sair do senso comum e realizar uma proposta ousada do ponto de vista educacional e pedagógico, porque acreditamos que melhoria da qualidade da Educação é muito mais complexo do que se imagina. Para a nossa alegria os nossos alunos entenderam a nossa proposta como também os professores sinalizaram nas urnas a necessidade da Renovação e só não entenderam mesmo os pais que não participaram das nossas assembléias para conhecer os candidatos e nem as nossas propsotas, mas fica as reflexão: numa Escola do Porte do CEP em três dias de assembléias comparecer apenas 3 pais, onde, serão apresentados a eles quem vai dirigir a Escola e quais as propostas dos candidatos?(..) Bem, o mais interessante foi constatado no dia da eleição que para a surpresa de todos, compareceram para a votação 213 pais. Ora, para a grande maioria dos pais a Escola apresentava uma candidatura única, não conheciam a nossa chapa e muito menos as nossas propostas, portanto quero finalizar meus agradecimentos, dizendo que não estou lamentando a derrota e sim colocando alguns questionamentos, onde as duas chapas foram prejudicadas pelo não comparecimento dos pais nas assembléias ocorridas na Escola.         

CHAPA 1 VENCE AS ELEIÇÕES PARA DIRETOR DO CEP

A Chapa encabeçada pela pedagoga Adélia Paixão, venceu as eleiçoes para Diretor do CEP com 56,67% dos votos contra 43,33% da Chapa 2, representada por mim, Professor Carlos.
A eleição trascorreu de forma bastante tranquila, tirando evidentemente, alguns excessos considerados normais para um dia diferente numa escola que tenha disputa para a direção. Houve quórum significativo dos professores, funcionários, alunos e pais. Desejamos imensamente sucesso à nova diretoria e que eles consigam realizar tudo aquilo que almejaram durante a campanha, pois esperamos ansiosamente, as melhorias necessárias pra nossa Escola, que precisa muito da garra e da competência dos futuros gestores. Como Professor de Sociologia vamos acompanhar junto com a comunidade, vamos participar e somar para que tudo se realize conforme as propostas apresentadas.

domingo, 20 de novembro de 2011

Dia 20 de Novembro - dia Nacional da Consciência Negra

A lei N.º 10.639, de 9 de janeiro de 2003, incluiu o dia 20 de novembro no calendário escolar, data em que comemoramos o Dia Nacional da Consciência Negra. A mesma lei também tornou obrigatório o ensino sobre História e Cultura Afro-Brasileira. Com isso, professores devem inserir em seus programas aulas sobre os seguintes temas: História da África e dos africanos, luta dos negros no Brasil, cultura negra brasileira e o negro na formação da sociedade nacional.
Com a implementação dessa lei, o governo brasileiro espera contribuir para o resgate das contribuição dos povos negros nas áreas social, econômica e política ao longo da história do país.
A escolha dessa data não foi por acaso: em 20 de novembro de 1695, Zumbi - líder do Quilombo dos Palmares- foi morto em uma emboscada na Serra Dois Irmãos, em Pernambuco, após liderar uma resistência que culminou com o início da destruição do quilombo Palmares.
Então, comemorar o Dia Nacional da Consciência Negra nessa data é uma forma de homenagear e manter viva em nossa memória essa figura histórica. Não somente a imagem do líder, como também sua importância na luta pela libertação dos escravos, concretizada em 1888.
Ver texto completo no link do IBGE

sábado, 12 de novembro de 2011

Florestan Fernandes, um militante do ensino democrático

O sociólogo não só refletiu sobre a escola brasileira, apontando seu caráter elitista, como atuou pessoalmente em defesa da educação para todos.
Florestan Fernandes (1920-1995) foi um dos mais influentes sociólogos brasileiros, mas muitos o chamavam de educador sem saber que isso o incomodava em sua modéstia. O equívoco tinha razão de ser. Vários escritos de Florestan tiveram a educação como tema e sua atuação na Câmara dos Deputados, já no fim da vida, se concentrou na área do ensino. Além disso, a preocupação com a instrução era um desdobramento natural de sua obra de sociólogo. "Em nossa época, o cientista precisa tomar consciência da utilidade social e do destino prático reservado a suas descobertas", escreveu. 
Como o italiano Antonio Gramsci (1891-1937), Florestan militava em favor do socialismo e não separava o trabalho teórico de suas convicções ideológicas. Ainda que com abordagens diferentes, ambos acreditavam que a educação e a ciência têm, potencialmente, uma grande capacidade transformadora. Por isso, deveriam ser instrumentos de elevação cultural e desenvolvimento social das camadas mais pobres da população. "Um povo educado não aceitaria as condições de miséria e desemprego como as que temos", disse ele em entrevista a NOVA ESCOLA em 1991. "A escola de qualidade, para Florestan, não era redentora da humanidade, mas um instrumento fundamental para a emancipação dos trabalhadores", diz Ana Heckert, docente da Universidade Federal do Espírito Santo.  
Artigo na íntegra: REVISTA NOVA ESCOLA 

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Concurso de Remoção: sai o resultado

De acordo com o edital nº 104/2011, que ordenou o processo relativo ao Concurso de Remoção para os professores do Quadro Próprio do Magistério (QPM), foi divulgado nesta quarta-feira (9) o resultado (clique aqui para ver). O documento também informa aos candidatos que o prazo para recursos inicia nesta quinta-feira (10) e encerra amanhã (11). Os recursos, segundo o edital, devem ser entregues nos Núcleo Regional de Educação ao qual pertence o candidato "por escrito e corretamente instruído". 

Fonte: site da APP

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Tablets na escola pública: solução ou ouro de tolo?

by GABRIEL MALLET MEISSNER
Sou um grande entusiasta do uso da tecnologia para fins pedagógicos, com o objetivo de facilitar o aprendizado e estimular a inclusão digital. Ao mesmo tempo, fico preocupado com a febre que vê na tecnologia uma panacéia para todos os males. Isso está acontecendo no Brasil e é urgente discutirmos em que casos novos recursos tecnológicos podem, de fato, exercer impacto positivo sobre a educação e em quais isso seria apenas uma maquiagem tecnológica, igual a maquiagem verde/ greenwashing que muitas empresas fazem para parecer mais sustentáveis e “ficar bem” na opinião dos consumidores. (...)

O raciocínio é simples. Se um aluno não consegue aprender com um livro em papel, ler o mesmo livro em formato digital não representa ganho algum. Vai continuar sem aprender. Se os tablets forem implantados na rede pública sem se refletir qual seria a melhor metodologia para que o seu uso realmente faça alguma diferença, será puro ouro de tolo. Para isso, seria muito necessário que o Ministério da Ciência e Tecnologia e o Ministério da Educação trabalhassem em conjunto para discutir uma reforma pedagógica para incluir novas tecnologias eficientemente. (...)

Isso vale para qualquer outro recurso tecnológico que seja adotado pelas escolas públicas, não somente tablets. É perigoso nos deslumbrarmos com novas tecnologias e vermos nelas uma solução definitiva para qualquer problema, sem questionarmos o cenário de um ponto de vista mais amplo e profundo.

Ver artigo na íntegra clicando aqui

sábado, 29 de outubro de 2011

Concurso de Remoção: inscrições iniciam dia 1º de novembro

Candidatos devem ler o edital com atenção. Prazo de inscrição termina no dia 4

Os professores efetivos da rede estadual - que integram o Quadro Próprio do Magistério (QPM) ou o Quadro Único de Pessoal (QUP) - poderão se inscrever no período de 1º a 4 de novembro no site da Secretaria de Estado da Educação(Seed). As inscrições serão exclusivamente pela internet. De acordo com o edital nº 104/2011, a data do resultado será dia 9. Os recursos poderão ser impetrados nos dias 10 e 11.


Acesse o edital aqui.

Fonte: site da APP

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Maratona do Enem começa amanhã. A CHAPA 2 DESEJA BOA SORTE!

O Enem (Exame Nacional de Ensino Médio) começa neste sábado (22) às 13h. Pela primeira vez desde que o exame foi criado em 1999 os candidatos não poderão usar caneta esferográfica azul. De acordo com a organização somente a cor preta é reconhecida pela leitura óptica que verifica o resultado dos cartões de resposta. Além disso as canetas devem ser de material transparentes.

Lápis, borracha e relógio também não serão permitidos. Os estudantes que levarem esses objetos deverão depositá-los em uma sacola plástica que será entregue nos locais de prova. Celular e mp3 player ficam junto com esses objetos.

O ministério afirma que a proibição do relógio visa garantir a segurança do exame, o medo do governo é que candidatos usem transmissores para fraudar o Enem, escondidos em relógios digitais e mesmo os de ponteiro para fraudar o Enem.

Leia a reportagem na íntegra clicando AQUI

Recado para os Estudantes do CEP

O educando é a principal razão da escola, por isso uma gestão responsável e eficiente, deve proporcionar aos estudantes ferramentas que possibilitem o seu crescimento no mundo do trabalho. Porém, encaramos como um grande desafio a formação do cidadão íntegro e responsável alicerçado no conhecimento científico e nos valores humanos. Temos que pensar em uma escola que abarque os elementos das grandes questões nacionais, contribuindo para a formação do cidadão crítico e capaz de acompanhar as constantes transformações sociais. Formação essa, capaz de oferecer ao jovem uma educação de qualidade, adaptando-se às suas necessidades e as suas aspirações de autonomia, de autenticidade, de participação, de mudança e acima de tudo de qualificação profissional.

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

COMPROMISSO COM A EDUCAÇÃO!


A Educação Pública, de Qualidade e Gratuita, sempre foram as bandeiras que eu acreditei, e lutei. Nos tempos de estudante secundarista, sempre estive comprometido com a Educação, e na Universidade Pública também não foi diferente. Aproveitei muito o período de graduação em Ciências Sociais, curso pelo qual eu tenho uma grande admiração, pelo fato de lidar com pessoas e principalmente por me dar a oportunidade de lecionar e buscar, com a ajuda do conhecimento científico o entendimento e as soluções para as questões sociais.

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Dia do Professor e da Professora!

Para homenagear o dia dos Professores nada melhor do que relembrar as palavras do eterno educador Paulo Freire, que foi para nós um exemplo de dedicação e amor a nossa profissão. Parabéns a todos os educadores e educadoras que carregam o dom de ensinar e amam a sua profissão. Esses são os votos do Professor Carlos.


Verdades da Profissão de Professor
"Ninguém nega o valor da educação e que um bom professor é imprescindível. Mas, ainda que desejem bons professores para seus filhos, poucos pais desejam que seus filhos sejam professores. Isso nos mostra o reconhecimento que o trabalho de educar é duro, difícil e necessário, mas que permitimos que esses profissionais continuem sendo desvalorizados. Apesar de mal remunerados, com baixo prestígio social e responsabilizados pelo fracasso da educação, grande parte resiste e continua apaixonada pelo seu trabalho.
A data é um convite para que todos, pais, alunos, sociedade, repensemos nossos papéis e nossas atitudes, pois com elas demonstramos o compromisso com a educação que queremos. Aos professores, fica o convite para que não descuidem de sua missão de educar, nem desanimem diante dos desafios, nem deixem de educar as pessoas para serem “águias” e não apenas “galinhas”. Pois, se a educação sozinha não transforma a sociedade, sem ela, tampouco, a sociedade muda". (Paulo Freire - 1921-1997)

domingo, 9 de outubro de 2011

CONVITE

MISSA EM AGRADECIMENTO AO DIA DOS PROFESSORES
  
LOCAL: CATEDRAL MARIA MÃE DA IGREJA

DATA: 15 de outubro de 2011 – Sábado

HORÁRIO: 19h e 30min
CELEBRANTE: Dom Geremias Steinmetz 

 PASTORAL DA EDUCAÇÃO DA DIOCESE DE PARANAVAÍ


sábado, 8 de outubro de 2011

Ética na eleição de diretores

Professor Silas
Mentes pequenas discutem pessoas; Mentes medianas discutem eventos; Grandes mentes discutem ideias.”
(Eleanor Roosevelt)
Na próxima semana dar-se-á o período destinado ao registro das chapas dos candidatos aos cargos de diretor e diretor auxiliar em todas as escolas públicas do Estado do Paraná. Apesar de ainda não ser o momento oficial de campanha e propaganda, de acordo com o cronograma anexo a resolução 4122/2011, em alguns colégios tradicionais de Paranavaí, percebe-se que haverá pleito com mais de uma chapa concorrendo.
É de fundamental importância que os professores e funcionários estejam atentos ao andamento deste processo. Também vejo com bons olhos a existência de mais de uma chapa, pois isso deve enriquecer as discussões e as propostas dos candidatos, assim como ofertar à comunidade escolar mais opções de escolha e indicação.
O que nós educadores envolvidos neste processo devemos repelir com veemência são as atitudes que não promovem discussões sadias que aprimorem o desenvolvimento educacional. Escola é sim lugar de política como postou meu colega Professor Carlos mas, não é lugar de politicagem como costumamos ver nas eleições normais. Devemos zelar pelos princípios éticos, de mútuo respeito, afinal, após as eleições, independente do eleito, devemos se unir em prol de uma escola de qualidade.
É lamentável ouvir de colegas relatos de inimizade e constrangimento por parte de candidatos a diretor. A disputa que se segue, jamais deve ser por questões pessoais mais apenas por divergências encaminhamento  administrativo e pedagógico do cotidiano escolar. No mais, é preciso que após as eleições estejamos unidos "todos pela educação".
Concluo esta observação recordando Valtaire: “Não concordo com o que dizes, mas defenderei até a morte o direito de dizeres.”
Vamos todos debater nossas ideias em um ambiente agradável, cortez e familiar como deve ser uma boa escola.
Um abraço!

TEXTO: BLOG DO PROFESSOR SILAS

terça-feira, 4 de outubro de 2011

LUGAR DE POLÍTICA É NA ESCOLA!

Escola também é lugar para falar sobre política!

No contexto geral das escolas brasileiras, o ensino e a promoção de atividades ligadas à política ainda caminham de modo confuso. Os desdobramentos dessas falhas no ensino, e, principalmente, suas causas são apontadas pelo professor Mário Sérgio Cortella, da Pontifícia Uni­versidade Católica de São Paulo (PUCSP), que vê problemas semelhantes na educação de uma geração anterior. “O erro começa quando se tenta impor esse assunto. O importante é aprender as noções de comunidade e isso tem início na prática”, afirma Cortella. É justamente a ideia de co­­munidade que deve ter o lugar central no debate nas escolas, de acordo com o professor. Para ele, mais do que ensinar o funcionamento do estado e da administração pública, a necessidade é promover o convívio e o respeito recíproco como pontos comuns dentro dos componentes curriculares já existentes. “Esses elementos não devem vir como o que hoje está disseminado como conteúdos ‘extracurriculares’. Isso dá a ideia de um penduricalho, algo à parte da educação”, diz ele.
O professor ensaia algumas explicações para esta carência na educação brasileira. O fato de a democracia ainda ser muito recente no país, assim como o equívoco de reduzir o tema apenas à questão partidária seriam alguns dos frequentes tropeços dados pelo Brasil no tema. Como consequên­cia, muitas vezes a escola acaba por afastar crianças e jovens do assunto – distância que em vários casos se mantém por boa parte da vida adulta.
Um dos maiores especialistas no assunto educação e política, o filósofo Mário Sérgio Cortella, professor da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUCSP), considera que alguns problemas ainda insistem em travar o bom diálogo sobre política em sala de aula. Em entrevista à Gazeta do Povo, ele aponta alguns dos principais, como o tratamento errado dos termos política e cidadania.
Tratar de política dentro da escola ainda é algo pouco comum no Brasil. É possível determinar os principais motivos disso?
Em primeiro lugar, temos uma democracia ainda muito jovem. O país tem 511 anos e sua democracia plena não tem nem 25 anos, sendo seu marco a Constituição de 1988. Durante esse tempo, tivemos momentos rarefeitos de inclusão da sociedade nas decisões. E um modelo com participação restrita acaba tendo reflexos dentro da escola, onde o debate sobre esses temas acabava não acontecendo. Se formos lembrar, a geração anterior teve aulas de Educação Cívica, que eram impostas e se tornaram indesejadas. Com isso, os pais dos alunos de hoje também valorizam pouco a discussão da política no cotidiano.
Fonte: Gazeta do Povo Publicado em 04/10/2011 | LUIZ FELIPE MARQUES

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Ética nas eleições de diretores, exemplo de cidadania

A escolha do diretor escolar é acompanhada de perto pelos alunos. Veja o que fazer e o que evitar para não dar mau exemplo

Em época de eleição, é comum que políticos prometam favores em troca de votos, façam acusações contra os adversários e garantam que vão cumprir o que não podem. Nós, eleitores, já conhecemos essa realidade. Mas e quando os candidatos são educadores, e parte dos eleitores, um público que está em formação? Desvios de conduta em eleições para diretores de escolas públicas são mais comuns do que se imagina. Além do péssimo exemplo para os alunos, o fato de reproduzir práticas antiéticas pode provocar um grande mal-estar entre colegas de trabalho. E - diferentemente do que acontece na política - na escola os vitoriosos e os derrotados se encontram diariamente e devem constituir uma equipe de trabalho cooperativa.
Fonte: Revista Nova Escola

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

UTILIDADE PÚBLICA: INSCRIÇÕES CURSOS TÉCNICOS DO CEP

O COLÉGIO ESTADUAL DE PARANAVAÍ está com as inscrições abertas para os cursos técnicos em Administração, Informática e Formação de Docentes (antigo magistério). Garanta já a sua vaga. O período de inscrições vão até o dia 30 de setembro. Mais informações na Secretaria do Colégio, fone (44)3423-6311.

sábado, 24 de setembro de 2011

Enem poderá ser obrigatório

O ministro da Educação, Fernando Haddad, disse nesta segunda-feira 12 que a universalização do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) faria da prova um melhor  indicador da qualidade do ensino. Atualmente o exame é voluntário. O Plano Nacional de Educação (PNE), que tramita no Congresso Nacional, prevê que o Enem se torne um componente do currículo e, portanto, obrigatório.
No ano passado, 56% dos concluintes do ensino médio fizeram a prova. Outras avaliações aplicadas pelo Ministério da Educação, como a Prova Brasil, são universais.
“Seria uma atividade obrigatória para a conclusão dos estudos. Não significa que o estudante precisaria atingir uma nota específica, mas a mera participação [seria suficiente]. Seria como o Enade [Exame Nacional de Desempenho de Estudantes] em que todos os alunos são convocados a fazer a prova e obrigados a participar”, disse.
Haddad avaliou que “ainda nesta década” o Enem deve acabar com os vestibulares. Desde 2009, a prova passou a ser usada como critério de seleção por parte das universidades públicas, o que fez crescer o número de inscritos no exame. Para o segundo semestre de 2011, foram oferecidas 26 mil vagas em 48 instituições públicas de ensino superior, por meio do Enem, no Sistema de Seleção Unificado (Sisu).

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

MEC apresenta proposta para deixar aluno mais 20 dias por ano na escola

 O ministro da Educação, Fernando Haddad, apresentou nesta quarta-feira (21) em Brasília o resultado de uma pesquisa que levou o MEC a avaliar o aumento de até quatro semanas no calendário letivo da educação básica do país no sistema público e privado. Atualmente, o Brasil tem 200 dias, como prevê a Lei de Diretrizes e Bases (nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996) no ano letivo e carga horária de 800 horas. O ministro propõe um amplo debate sobre a ampliação da carga horária escolar para 220 dias ao ano.
"Sempre que o MEC se vê diante de uma evidência forte que algo pode melhorar a partir da descoberta de um estudo temos que perseguir este objetivo", disse Haddad. O ministro vai discutir a proposta com secretários de educação estaduais e municipais. Ele espera concluir o debate este ano para que a proposta seja encaminhada ao Congresso Nacional em 2012 para votação. "Nenhum país com bom desempenho tem uma carga horária de 800 horas", disse o ministro. "O Chile tem carga de 1.200 horas por ano e o nosso desempenho hoje é equivalente ao que o Chile tinha no ano 2000."
Veja a matéria na íntegra na página do G1
***comentário do Professor Carlos***
O Ministro comete um erro homérico em comparar o Brasil com países desenvolvidos como o Chile por exemplo, que investe 7,5% do seu Produto Interno Bruto (PIB) em educação. Uma cifra considerável que supera vários países desenvolvidos como a Finlândia ou os Estados Unidos, entre outros e até o ano 2015 deverá superar 10% do seu PIB em Educação. Portanto o Brasil avançou sem dúvida em Educação, mas reconhecemos, todos nós, que o avanço é muito tímido comparado com os nossos vizinhos latinos, como Argentina, Uruguai e Chile. 

terça-feira, 20 de setembro de 2011

CONVITE ESPECIAL PARA O DIA DA ÁRVORE - 21 DE SETEMBRO

CONVITE COMEMORAÇÃO AO DIA DA ÁRVORE
A Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Paranavaí convida a todos, para participar da Caminhada em comemoração ao Dia da Árvore que terá como ponto de partida o Ginásio de Esportes Lacerda Braga passando pelas avenidas Salvador, Curitiba e término na Av. Belo Horizonte.
Contamos com a participação de todos.
LOCAL DE INÍCIO: GINÁSIO LACERDINHA
DATA: 21 DE SETEMBRO DE 2011
HORÁRIO: 17:30 HORAS

UTILIDADE PÚBLICA - PROVÃO DO CEEBJA NO PRÓXIMO SÁBADO


 CANDIDATOS AO PROVÃO!
Atenção! A prova será sábado próximo, dia 24.09.2011, a partir das 7h e 45min. Haverá 15 questões em cada disciplina. Para concluir uma disciplina, o candidato deverá acertar 60% das questões. Na avaliação de Língua Portuguesa, o candidato fará também o texto escrito.


CEEBJA NEWTON GUIMARÃES – EFM
EXAMES DE EJA – PROVÃO

ETAPA 92ª - CONVENCIONAL

DATA DA PROVA: 24/09 (SÁBADO)

DIVULGAÇÃO DO RESULTADO: 04/11

HORÁRIO DAS PROVAS:

ENSINO FUNDAMENTAL

MANHÃ – 07H E 45MIN – MATEMÁTICA, CIÊNCIAS,GEOGRAFIA E HISTÓRIA.
TARDE – 13H E 15MIN – LÍNG. PORTUGUESA, INGLÊS, ARTE E EDUCAÇÃO FÍSICA. 

ENSINO MÉDIO

MANHÃ – 07H E 45MIN – MATEMÁTICA, FÍSICA, QUÍMICA, BIOLOGIA,
 FILOSOFIA E SOCIOLOGIA.
TARDE – 13H E 15MIN – LÍNGUA PORTUGUESA, INGLÊS, HISTÓRIA,  GEOGRAFIA,
ARTE E EDUCAÇÃO FÍSICA. 

 BOA PROVA A TODOS E TODAS!

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

O ensino de valores na escola

Publicado em 24/08/2011 | MARCELA CAMPOS
CONSENSO
Alguns valores morais são subjetivos e variam conforme a concepção ideológica das famílias. Mas parece haver consenso sobre a necessidade de desenvolver determinadas virtudes, como justiça, generosidade, honestidade e respeito ao próximo. “Outra virtude na qual acho que temos de insistir é a temperança, que vem dos gregos e tem a função de moderar o prazer. A temperança diz que tenho, por exemplo, de comer com medida, com hora, e dizer não ao comodismo. A criança precisa ser educada para o sacrifício, do contrário só vai se atrair pelo que é efêmero”, afirma Malheiro.
A identidade e os princípios da escola devem estar descritos no seu Projeto Político Pedagógico (PPP), documento que pode ser solicitado pelos pais. No entanto, a teoria nem sempre é posta em prática, ressalta Yves de La Taille, especialista em Psicologia Moral e professor do Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo. “A maioria das escolas coloca no PPP que trabalha com valores. Mas os pais têm dois jeitos de saber se há realmente essa preocupação: perguntando para alunos e pais de estudantes, e durante a própria atividade escolar, ficando de olho no que acontece”, diz.
Veja a reportagem na íntegra na GAZETA DO POVO

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

ENEM - Colégio Estadual de Paranavaí lidera entre as PÚBLICAS.

Apesar do Ensino Médio Público Nacional não apresentar bons resultados com relação aos anos anteriores e não participar do grupo das melhores Escolas do Brasil. Em Paranavaí precisamos reconhecer e parabenizar o trabalho realizado pelos nossos alunos, professores e funcionários do Colégio Estadual pela pontuação na REDAÇÃO 587 e com a pontuação final apresentada no ENEM, alcançando 543,09 superando a média estadual de 543 e a nacional que foi 537. Para os próximos anos, tenho certeza que vamos superar a meta estabelecida no Estado e no Brasil,  além de aumentar a participação dos alunos na realização das provas, que de acordo com o INEP, ficou abaixo de 25%. Veja abaixo a pontuação e a taxa de frequência das Escolas Públicas de Paranavaí-PR.


COLÉGIO
PONTUAÇÃO
1º Col. Est. de Paranavaí
546,9
2º Col. Marins A. Camargo
532,89
3º Col. Adélia R. Arnaldi
524,93
4º Col. Enira M. Ribeiro
513,98
5º Col. Sílvio Vidal
513,68
6º Col. Flauzina D. Viegas
513,42
7º Col. Bento Munhoz da R. Neto
509,81
8º Col. Leonel Franca
492,76
9º Col. José de Anchieta
483,85

COLÉGIO
TX. FREQUENCIA  %
Col. Leonel Franca
55
Col. José de Anchieta
52
Col. Marins A. Camargo
51
Col. Enira M. Ribeiro
46
Col. Bento Munhoz R. Neto
38
Col. Adélia R. Arnaldi
31
Col. Flauzina D. Viegas
27
Col. Estadual de Paranavaí
22
Col. Sílvio Vidal
17
Fonte: INEP

quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Eleição para Diretores

O Governador em exercício e Secretário da Educação do Paraná, Flávio Arns, anunciou nesta terça-feira (30), durante reunião com representantes da APP-Sindicato, no Palácio das Araucárias, em Curitiba, que as eleições para diretores das escolas da rede pública de ensino do Paraná vão ocorrer no dia 24 de novembro.

A confirmação do pleito segue a legislação vigente que determina a consulta junto à comunidade escolar para definir os seus representantes na Direção da escola. "Decidimos pela data do fim de novembro para não coincidir com a Prova Brasil, que ocorre no fim de outubro, mas pode atrasar. Pedagogicamente não é bom que 
as duas ações coincidam nas escolas", disse Arns.


Segundo o Governador em exercício a Secretaria de Educação deve publicar hoje, dia 31 o cronograma e as regras para a eleição deste ano. O entendimento ao qual a Secretaria chegou, com auxílio de um parecer da Procuradoria Geral do Estado, é que os os atuais diretores, que tiveram um primeiro mandato em 2003, poderão concorrer para mais três anos.

terça-feira, 30 de agosto de 2011

A Sociologia e sua inserção no Ensino Básico

por Adriana Czelusniak
Sandra Maria Mattar, diretora do curso de Sociologia da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR). 
A Sociologia foi inserida como disciplina obrigatória no currículo do Ensino Médio (Lei n.º 11.684/2008). Para discutir as propostas didáticas do ensino da Sociologia, a Pontifícia Universi­dade Católica do Paraná (PUCPR) sediou o 2.º Encontro Nacional sobre o Ensino de Socio­logia na Educação Básica (Eneseb), com oficinas de propostas didáticas e painéis de pesquisas. Para a diretora do curso de So­­ciologia da instituição, Sandra Maria Mattar, o amplo debate sobre o tema é necessário e fundamental para essa fase de construção e sistematização da Sociologia nas escolas. Confira a entrevista concedida ao Educação & Ensino:

Quais as possíveis consequências dessa determinação para a área de Sociologia?
As disciplinas de Filosofia e Sociologia tornaram-se obrigatórias há pouco tempo, depois de terem sido abolidas do ensino médio em 1971, por imposição do regime militar. A volta é uma grande conquista para os profissionais da área da sociologia, pois além de representar um espaço maior em termos de mercado de trabalho, a inserção da Sociologia no ensino médio é importante para uma formação mais humanista com vistas a permitir o pleno exercício da cidadania. Os professores devem ser Licenciados em Ciências Sociais ou Sociologia.
Quais os desafios a partir de agora?
Um dos aspectos importantes na discussão do ensino da Sociologia é a delimitação do conteúdo a ser trabalhado no ensino médio. Cada sistema de ensino formula sua propostas para se adequar as novas regras. O estado do Paraná tem um documento, “Diretrizes Curriculares de Sociologia para o Ensino Médio”, que norteia a prática da Sociologia na rede estadual. São muitos os desafios tanto no que diz respeito à formação de professores, como a discussão sobre os fundamentos da sociologia como disciplina escolar, a metodologia aplicada ao ensino, os conteúdos trabalhados, os livros didáticos, a formação.

Veja a entrevista completa no site da Gazeta do Povo

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Carta Renúncia de Janio Quadros (25/08/1961)


Cinqüenta anos atrás, neste dia, Jânio Quadros renunciava à Presidência da República, apenas sete meses depois de ter sido consagrado com a maior vitória que um candidato a Presidente já havia tido na história do Brasil.
CARTA RENÚNCIA
"Fui vencido pela reação e assim deixo o governo. Nestes sete meses cumpri o meu dever. Tenho-o cumprido dia e noite, trabalhando infatigavelmente, sem prevenções, nem rancores. Mas baldaram-se os meus esforços para conduzir esta nação, que pelo caminho de sua verdadeira libertação política e econômica, a única que possibilitaria o progresso efetivo e a justiça social, a que tem direito o seu generoso povo.
Desejei um Brasil para os brasileiros, afrontando, nesse sonho, a corrupção, a mentira e a covardia que subordinam os interesses gerais aos apetites e às ambições de grupos ou de indivíduos, inclusive do exterior. Sinto-me, porém, esmagado. Forças terríveis levantam-se contra mim e me intrigam ou infamam, até com a desculpa de colaboração.
Se permanecesse, não manteria a confiança e a tranqüilidade, ora quebradas, indispensáveis ao exercício da minha autoridade. Creio mesmo que não manteria a própria paz pública.
Encerro, assim, com o pensamento voltado para a nossa gente, para os estudantes, para os operários, para a grande família do Brasil, esta página da minha vida e da vida nacional. A mim não falta a coragem da renúncia.
Saio com um agradecimento e um apelo. O agradecimento é aos companheiros que comigo lutaram e me sustentaram dentro e fora do governo e, de forma especial, às Forças Armadas, cuja conduta exemplar, em todos os instantes, proclamo nesta oportunidade. O apelo é no sentido da ordem, do congraçamento, do respeito e da estima de cada um dos meus patrícios, para todos e de todos para cada um.
Somente assim seremos dignos deste país e do mundo. Somente assim seremos dignos de nossa herança e da nossa predestinação cristã. Retorno agora ao meu trabalho de advogado e professor. Trabalharemos todos. Há muitas formas de servir nossa pátria".

Brasília, 25 de agosto de 1961
Jânio da Silva Quadros

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Paralisação 30 de agosto!


PAUTA:
a) Equiparação Salarial Piso Salarial Profissional Nacional (PSPN).
b) Saúde dos(as) Trabalhadores(as).
c) Adequação do Plano de Carreira dos(as) Funcionários(as).
d) Porte de escolas e nº de alunos por turma.
e) Não fechamento das turmas.
f) Implementação da progressão dos(as) funcionários(as) atrasados.
g) Defesa do Cargo de 40 Horas.

EM PARANAVAÍ - PR.

ATO PÚBLICO EM FRENTE AO NÚCLEO REGIONAL DE ENSINO A PARTIR DAS 09h00 – (Rua. Mal. Cândido Rondon – Centro).

terça-feira, 23 de agosto de 2011

“Valorizar o professor é o primeiro passo”

Mozart Neves Ramos, conselheiro do movimento Todos pela Educação e professor da Universidade Federal de Pernambuco.
Para Mozart Neves Ramos é im­­por­­tante que o Brasil tenha uma “fe­­bre de educação”. Enquanto na década de 80 o país esteve unido na luta pela redemocratização e nos dez anos seguintes se voltou para a estabilização da moeda e o controle da inflação, daqui para frente a prioridade deve ser a busca de uma educação de qualidade. O pesquisador esteve em Curitiba para dar uma palestra a gestores na Aymará Educação. Veja os principais 
trechos da entrevista concedida à Gazeta do Povo.
Como tornar o magistério mais atraente?
Em primeiro lugar, ter um salário inicial atraente. Hoje no Brasil um professor ganha 40% menos do que outros profissionais de mesma escolaridade. A segunda providência é ter um plano de carreira para que esse jovem se sinta motivado, desafiado, que tenha como base os resultados em sala de aula e a formação ao longo da vida. O terceiro ponto é ter uma formação inicial sólida. Temos de repensar a formação, para termos um currículo mais atraente, que de fato chegue lá no chão de escola, na sala de aula, na prática do ensino. E o quarto ponto é ter insumos necessários para todas as escolas, para uma boa relação ensino-aprendizagem. O que são esses insumos? É ter salas de aula adequadas, definir claramente número de alunos por professor, ter biblioteca atualizada, laboratórios de ciências e de informática efetivamente funcionando.

Veja a matéria completa no site da Gazeta do Povo

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Juventude não quer só comida quer também 10% do PIB para Educação

Por Patrick Baptista
A educação no Brasil historicamente tem sido um privilégio de uma pequena parcela (rica) da população brasileira. É recente em nossa história a frequência das classes populares aos bancos escolares. A lógica sempre funcionou da seguinte forma: existem uns que nascem para pensar, e aí mandar; e outros para trabalhar, e então obedecer.
A universalização do ensino público não garantiu a permanência dos trabalhadores e de seus filhos nas escolas, que em muitos casos foram obrigados a deixar de estudar para contribuir com a renda familiar. Programas como o Bolsa Família e o de combate a miséria no país evidenciam o esforço da sociedade brasileira em resolver a problemática. Assistimos os avanços que o Brasil teve nos últimos anos. No entanto, essa problemática está longe de ser sanada, pois não é apenas a permanência de crianças nas escolas que resolverá o problema do déficit educacional. A juventude cada vez mais vem sendo alijada do direito à educação, pois compartilha do mesmo problema. Programas como o Projovem miniminizam o problema, mas está longe de atingir a maior parte de jovens que evadem das escolas para trabalhar.
Outro grave problema é a desvalorização dos educadores, que a cada dia se tornam sinônimo de atividade profissional que passa longe dos sonhos da juventude brasileira. Isso porque os baixos salários, inadequadas condições de trabalho e perspectiva de ascensão na carreira incerta levam ao desestímulo e constante processo de precarização da profissão e carreira docente.

Leia o artigo na íntegra no site da APP