Apresentando

Apresentando
Apresentando os clássicos da Sociologia ao meu lado. Da esquerda para a direita: Karl Marx, Èmile Durkheim, Max Weber e Florestan Fernandes

sábado, 8 de outubro de 2011

Ética na eleição de diretores

Professor Silas
Mentes pequenas discutem pessoas; Mentes medianas discutem eventos; Grandes mentes discutem ideias.”
(Eleanor Roosevelt)
Na próxima semana dar-se-á o período destinado ao registro das chapas dos candidatos aos cargos de diretor e diretor auxiliar em todas as escolas públicas do Estado do Paraná. Apesar de ainda não ser o momento oficial de campanha e propaganda, de acordo com o cronograma anexo a resolução 4122/2011, em alguns colégios tradicionais de Paranavaí, percebe-se que haverá pleito com mais de uma chapa concorrendo.
É de fundamental importância que os professores e funcionários estejam atentos ao andamento deste processo. Também vejo com bons olhos a existência de mais de uma chapa, pois isso deve enriquecer as discussões e as propostas dos candidatos, assim como ofertar à comunidade escolar mais opções de escolha e indicação.
O que nós educadores envolvidos neste processo devemos repelir com veemência são as atitudes que não promovem discussões sadias que aprimorem o desenvolvimento educacional. Escola é sim lugar de política como postou meu colega Professor Carlos mas, não é lugar de politicagem como costumamos ver nas eleições normais. Devemos zelar pelos princípios éticos, de mútuo respeito, afinal, após as eleições, independente do eleito, devemos se unir em prol de uma escola de qualidade.
É lamentável ouvir de colegas relatos de inimizade e constrangimento por parte de candidatos a diretor. A disputa que se segue, jamais deve ser por questões pessoais mais apenas por divergências encaminhamento  administrativo e pedagógico do cotidiano escolar. No mais, é preciso que após as eleições estejamos unidos "todos pela educação".
Concluo esta observação recordando Valtaire: “Não concordo com o que dizes, mas defenderei até a morte o direito de dizeres.”
Vamos todos debater nossas ideias em um ambiente agradável, cortez e familiar como deve ser uma boa escola.
Um abraço!

TEXTO: BLOG DO PROFESSOR SILAS

Um comentário:

Professor Carlos disse...

Meu caro e estimado Professor Silas,
Excelente o seu comentário acerca do processo de consulta para Diretores e Diretores auxiliares, deste ano. Concordo com o seu ponto de vista sempre muito bem fundamentado e inteligente. Lembrando as palavras de Lênin, ao sonhar com uma revolução na Educação na Rússia, dizia: "a Escola a margem da Política, a margem da vida, é pura falsidade e hipocrisia". Portanto, como você bem lembrou, a Escola deve e precisa ser um ambiente Político, referindo-se ao mais tradicional sentido do termo Político, que é o envolvimento, a participação, o bem comum em prol da comunidade escolar, ao contrário, do pensamento de alguns Educadores que, infelizmente, ainda insistem em propagar a ideia de que lugar de Política é no palanque e não no âmbito da Escola. Ora, pois lutamos veementemente para passar para os nossos alunos, enquanto professor, a importância de sermos indivíduos políticos, críticos e participativos, no entanto em minha opinião, a Política deve fazer parte da Escola, e a politicagem deve ser banida de uma vez toda do ambiente escolar, mas a única ferramenta para combater a politicagem é o acesso ao conhecimento, é o acesso à formação política, crítica e cidadã.
Outro ponto, importante do seu comentário, Professor, é que esse ano, na maioria das Escolas Públicas de Paranavaí, a comunidade terá a oportunidade de escolher mais de uma chapa, isso demonstra, que novas lideranças ressurgem, a comunidade escolar tem a oportunidade de debater novas alternativas e propor novas soluções.
Enfim para finalizar o meu comentário, quero enfatizar a importância de aproveitarmos esse momento, para por em prática àquilo que pregamos e aquilo que acreditamos ser a democracia, o bom relacionamento entre os colegas. Entre os valores éticos que estão em jogo, neste momento, precisamos valorizar os valores da liberdade e da justiça, da verdade e da transparência e, fundamentalmente, o valor da participação, sem a qual as mais generosas intenções não passariam nunca e continuariam a não passar de meras declarações retóricas ou de artifícios demagógicos.
LUGAR DE POLÍTICA É NA ESCOLA!