Apresentando

Apresentando
Apresentando os clássicos da Sociologia ao meu lado. Da esquerda para a direita: Karl Marx, Èmile Durkheim, Max Weber e Florestan Fernandes

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

A arapuca do debate da Globo. O problema é a edição

Por Paulo Henrique Amorim


Os debates na televisão brasileira são irrelevantes – para dizer pouco.
E por que ? Porque os partidos e os candidatos nao confiam na imprensa brasileira e não deixaram jornalistas fazer peguntas, com direito a follow-up.
Candidato não sabe fazer pergunta.
Candidato faz pergunta para responder ele mesmo, na volta.
Quem sabe fazer pergunta é jornalista isento, sério.
Desde que ele tenha o direito a fazer a pergunta seguinte à resposta.
Não adianta um jornalista perguntar sobre a maracutaia da concorrência do metrô de São Paulo e o Serra responder sobre Nossa Senhora da Aparecida.
O jornalista tem que ter o direito de ir para a réplica, o follow up: mas, pera ai, santinho do pau oco … a pergunta era sobre a carta marcada da concorrência do metrô que o senhor administrou.
Hoje, no Brasil, realizou-se a proeza de tirar o jornalista do jornalismo.
Porque os jornalistas do PiG (*) não prestam.
Para evitar desgaste, os partidos e candidatos desidrataram o debate.
Sobra a edição do debate.
E aí a Globo é imbativel.
Numa boa mesa de edição, a Globo já mudou o rumo de duas eleições, a partir de debates.
O mais recente foi em 2006, quando o Ali kamel produziu sua “finest hour”: levou a eleição para o segundo turno do Lula contra o Alckmin, ao mostrar o dinheiro dos aloprados e a cadeira do Lula vazia no debate da Globo.
Ele conseguiu passar a ideia de que o Lula tinha fugido do dinheiro dos aloprados.

Veja o artigo na íntegra clicando Aqui

Parte dos Professores e Estudantes da UEM assinam manifesto a favor de DILMA

29/10/2010 | 00:18 | EUCLIDES LUCAS GARCIA


APOIO A DILMA
Mais de 120 professores, técnicos universitários e estudantes da UEM assinaram um manifesto em favor de Dilma, afirmando que o Brasil avançou nos oito anos de governo Lula e que a petista é “a alternativa mais consequente para aprofundar as transformações em curso. Além da melhoria na política educacional brasileira, o documento destaca que Lula mostrou que “é possível combinar desenvolvimento com justiça social”.
Reitor da UEM durante quase todo o segundo mandato do presidente Lula, Décio Speran dio disse ter assinado o manifesto por entender que o ensino superior avançou consideravelmente nos últimos quatro anos e, com Dilma na Presidência, pode continuar avançando. “Escolhemos em quem votar quando nos identificamos com as causas pregadas pelo candidato. E as da Dilma são as mesmas pelas quais a gente tem lutado”, disse o ex-reitor. “Mas cada um tem de votar de acordo com sua consciência, por acreditar que determinado candidato será o melhor para o país.”

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Curso para formar professor deve ser pago pelo governo, propõe Cristovam

Os jovens que desejarem cursar licenciatura ou pedagogia deveriam ser dispensados de vestibular e ter os seus estudos integralmente pagos pelo governo - é o que sugere o senador Cristovam Buarque (PDT-DF), para quem tais medidas poderiam contribuir para reduzir a carência de professores, que, segundo ele, é de cerca de 400 mil só nas áreas de matemática, física, química e biologia.
Em entrevista à Agência Senado nesta segunda-feira (25), Cristovam Buarque disse que essas providências seriam mais efetivas do que os dois decretos editados recentemente pelo governo para facilitar o financiamento de curso superior. Para ele, esses decretos, que mudam as regras do Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior (Fies), são importantes e reduzem as dificuldades dos estudantes, mas não são suficientes para fazer frente às necessidades educacionais do Brasil.


Veja matéria na íntegra Aqui

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Dilma: a importância de uma mulher na presidência da República



Há duas formas principais de estarmos presentes no mundo: pelo trabalho e pelo cuidado.
Como somos seres sem nenhum órgão especializado, à diferença dos animais, temos que trabalhar para sobreviver. Vale dizer, precisamos tirar da natureza tudo o que precisamos. Nessa diligência usamos a razão prática, a criatividade e a tecnologia. Aqui precisamos ser objetivos e efetivos, caso contrário sucumbimos às necessidades.
Na história humana, pelo menos no Ocidente, instaurou-se a ditadura do trabalho. Este mais do que obra foi transformada num meio de produção, vendido na forma de salário, implicando concorrência e devastação atroz da natureza e perversa injustiça social. Representantes principais, mas não exclusivos, do modo de ser do trabalho são os homens.
A segunda forma é o cuidado. Ele tem como centralidade a vida e as relações interpessoais e sociais.
Todos somos filhos e filhas do cuidado, porque se nossas mães não tivessem tido infinito cuidado quando nascemos, algumas horas depois teríamos morrido e não estaríamos aqui para escrever sobre estas coisas.


Por Leonardo Boff


Veja artigo na íntegra clicando AQUI

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Justiça Social é marca do governo Lula.

Estatuto da Igualdade Racial reabre discussão sobre cotas

Com a nova lei em vigor, Executivo poderá criar sistema de cotas por meio de medida administrativa, o que provoca controvérsia no Congresso. Segundo ONG, quase 67% das instituições públicas de ensino superior do País já adotam políticas de inclusão.


O Estatuto da Igualdade Racial (Lei 12.288/10), que entrou em vigor nesta quarta-feira (20), reacende a polêmica em torno das políticas de cotas. Um dos pontos mais discutidos da nova lei é o que obriga o governo federal a adotar ações afirmativas, sem a necessidade de passar pelo Legislativo.
Desde junho o ministro da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, Eloi Ferreira de Araujo, manifesta a intenção de instituir sistemas de cotas por meio de medida administrativa. A iniciativa já encontra resistência no Congresso.
O senador Demóstenes Torres (DEM-GO), relator no Senado do Projeto de Lei 73/99, que institui cotas sociais e raciais nas universidades federais, sustenta que a adoção dessa política por meio administrativo representa uma ofensa ao Legislativo.

Veja matéria na íntegra no site da CÂMARA FEDERAL

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

A Sociologia e a Filosofia ameaçadas.

Presidente Alencar no momento da Sansão presidencial





Uma conquista de quase cem anos de luta, no estado de SP continua sob ameaça. Forças conservadoras e retrógradas, no estado governado por tucanos há 16 anos,
ainda tentam nos impor uma derrota contra o ensino de Sociologia e Filosofia nas escolas médias de Campinas. O Sinsesp, que organizou com outras entidades desde 1997, uma luta e resistência nacional para fazermos valer a obrigatoriedade do ensino e mudarmos a LDB, publica, a seguir, importante posicionamento do Prof. Dr. Amauri, da USP, nosso ex-diretor, em defesa do ensino de Sociologia. Comunicamos a todas que estamos entrando em contato com a APEOESP para ver quais procedimentos legais são cabíveis para que possamos ter garantido nosso direitos e o cumprimento da Lei.

Veja matéria completa: AQUI

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Marilena Chauí: "Serra é versão empobrecida de FHC"

Por Claudio Leal
Do Rio de Janeiro

A professora de Filosofia, Marilena Chauí, 69 anos, foi uma das intelectuais mais entusiasmadas no ato de apoio à candidatura de Dilma Rousseff (PT), no Teatro Oi Casa Grande, no Rio de Janeiro, segunda-feira à noite (18). No púlpito, puxou um santinho do adversário José Serra (PSDB) e criticou o uso de uma mensagem religiosa ("Jesus é a verdade e a justiça") na propaganda política. "É religiosamente obscena", atacou.
Militante histórica do PT, Marilena retornou aos verbos de campanha depois que a sua candidata passou a rebater ataques morais e religiosos. Nesta entrevista aTerra Magazine, após a manifestação de artistas e de intelectuais, ela afirma que Serra é uma "versão empobrecida" do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

Veja entrevista na íntegra, AQUI

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Intelectuais e artistas realizam ato a favor de Dilma



Entre os intelectuais e artistas do Brasil,  o nome de Dilma é o mais indicado, entre os Movimentos Sociais o nome de Dilma também é o mais aceito, entre a classe trabalhadora Dilma se destaca, portanto, a continuação responsável da política de geração de renda voltada para as classes menos favorecidas, pela longa história de dominação da elite brasileira, leva a crer que na atual conjuntura o melhor para o Brasil, seja a permanência da Justiça Social simbolizado pelo Governo Lula. 
Estamos prestes a quebrar mais um paradigma, que é eleger uma mulher para dirigir o Brasil e essa mulher é Dilma Rousseff.

A Câmara de vereadores de Paranavaí e a polêmica que envolve o IPTU

Vejo com muita preocupação a forma como os vereadores conduzem o debate em torno do projeto do executivo que institui uma nova Planta Genérica de Valores (PGV) e regula a forma de apuração do valor venal dos imóveis para efeito de lançamento do IPTU, ao meu ver, espero que os vereadores aprofundem melhor as discussões e principalmente nos argumentos, acerca do tema, pois a impressão, para quem os acompanha nas reuniões, é que faltam-lhes um entendimento mais amplo de assuntos relacionados à educação fiscal e aos anseios populares. Gostaria muito que essa discussão envolvesse toda a comunidade, ou pelo menos grande parte dela. Esse assunto não pode ficar no senso comum porque se isso acontecer a comunidade vai perder, e há quem pense que essa matéria só interessa aqueles que possuem imóveis no município, mas isso não é verdade, como também não é verdade que o IPTU possa significar mais educação, saúde, emprego, etc, pois, para que isso se concretize a governabilidade precisa executar com muita responsabilidade e comprometimento os impostos arrecadados pela população. 
Gostaria de assistir na Câmara de Vereadores, uma discussão sem demagogias com apontamentos técnicos e científicos, afinal a casa de leis é por excelência onde se discute os assuntos relacionados a Pólis, que dá origem a palavra Política. No entanto, vamos aguardar e participar desse processo, é na diversidade e nos projetos polêmicos  que vamos conhecer quais interesses estão em jogo.

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Em ranking da Forbes, Dilma é eleita 95ª mulher mais poderosa do mundo

A candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, foi eleita pela revista americana "Forbes" como a 95ª mulher mais poderosa do mundo.
A revista descreve Dilma como a favorita para vencer o segundo turno das eleições presidenciais e lembra que, se eleita, a petista será a primeira mulher a governar o país.
Segundo a revista, ao optar por Dilma para sucedê-lo, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva fez uma escolha criteriosa. A Forbes também ressaltou que a petista lutou contra a ditadura militar e, por isso, ficou presa por três anos.

Por Fernando Taquari - Globo
Ver matéria na íntegra: REVISTA FORBES

Como atrair os votos verdes, por Marilena Chauí

   Para a professora de Filosofia da Universidade de São Paulo (USP), apoiar José Serra significa a agroindústria ligada ao latifúndio e, portanto, o ataque ao meio ambiente e também à possibilidade de reformar a situação da terra no Brasil. "É preciso conversar com os ambientalistas", defendeu Marilena Chauí, e "mostrar que o mapa da votação indica que José Serra foi vitorioso em todas as regiões da agroindústria, do latifúndio que ataca o meio ambiente". "Não é pouco que isso se refira à estrutura da terra criada desde a colonização, que isso seja ligado aos obstáculos contra a Reforma Agrária e que se refira também ao ataque contra o meio ambiente", adverte.

Veja artigo clicando: AQUI


Frei Betto e sua lição de cristianismo e política.


Por Frei Beto

Em tudo o que Dilma realizou, falou ou escreveu, jamais se encontrará uma única linha contrária aos princípios do Evangelho e da fé cristã.
Conheço Dilma Rousseff desde criança. Éramos vizinhos na rua Major Lopes, em Belo Horizonte. Ela e Thereza, minha irmã, foram amigas de adolescência. Anos depois, nos encontramos no presídio Tiradentes, em São Paulo. Ex-aluna de colégio religioso, dirigido por freiras de Sion, Dilma, no cárcere, participava de orações e comentários do Evangelho. Nada tinha de "marxista ateia".
Nossos torturadores, sim, praticavam o ateísmo militante ao profanar, com violência, os templos vivos de Deus: as vítimas levadas ao pau-de-arara, ao choque elétrico, ao afogamento e à morte.
Em 2003, deu-se meu terceiro encontro com Dilma, em Brasília, nos dois anos em que participei do governo Lula. De nossa amizade, posso assegurar que não passa decampanha difamatória -diria, terrorista- acusar Dilma Rousseff de "abortista" ou contrária aos princípios evangélicos.Se um ou outro bispo critica Dilma, há que se lembrar que, por ser bispo, ninguém é dono da verdade.
Nem tem o direito de julgar o foro íntimo do próximo.  Dilma, como Lula, é pessoa de fé cristã, formada na Igreja Católica.
Na linha do que recomenda Jesus, ela e Lula não saem por aí propalando, como fariseus, suas convicções religiosas. Preferem comprovar, por suas atitudes, que "a árvore se conhece pelos frutos", como acentua o Evangelho.
É na coerência de suas ações, na ética de procedimentos políticos e na dedicação ao povo brasileiro que políticos como Dilma e Lula testemunham a fé que abraçam.Sobre Lula, desde as greves do ABC, espalharam horrores: se eleito, tomaria as mansões do Morumbi, em São Paulo; expropriaria fazendas e sítios produtivos; implantaria o socialismo por decreto.
Passados quase oito anos, o que vemos? Um Brasil mais justo, com menos miséria e mais distribuição de renda, sem criminalizar movimentos sociais ou privatizar o patrimônio público, respeitado internacionalmente.
Até o segundo turno, nichos da oposição ao governo Lula haverão de ecoar boataria e mentiras. Mas não podem alterar a essência de uma pessoa. Em tudo o que Dilma realizou, falou ou escreveu, jamais se encontrará uma única linha contrária ao conteúdo da fé cristã e aos princípios do Evangelho.
Certa vez indagaram a Jesus quem haveria de se salvar. Ele não respondeu que seriam aqueles que vivem batendo no peito e proclamando o nome de Deus. Nem os que vão à missa ou ao culto todos os domingos. Nem quem se julga dono da doutrina cristã e se arvora em juiz de seus semelhantes.
A resposta de Jesus surpreendeu: "Eu tive fome e me destes de comer; tive sede e me destes de beber; estive enfermo e me visitastes; oprimido, e me libertastes..." (Mateus 25, 31-46). Jesus se colocou no lugar dos mais pobres e frisou que a salvação está ao alcance de quem, por amor, busca saciar a fome dos miseráveis, não se omite diante das opressões, procura assegurar a todos vida digna e feliz. Isso o governo Lula tem feito, segundo a opinião de 77% da população brasileira, como demonstram as pesquisas. Com certeza, Dilma, se eleita presidente, prosseguirá na mesma direção.

(FREI BETTO)

domingo, 10 de outubro de 2010

Conservadorismo e desenvolvimento social

Vejo que o moralismo barato ainda insiste em perpetuar na sociedade brasileira, talvez ainda seja um resquício do período de ditaduta militar que tivemos no Brasil, como exemplo estamos assistindo, nessas eleições, a polêmica que envolve o aborto e de outras questões que se colocam na atual conjuntura.  Realmente é uma pena que a discussão acerca do aborto seja retirado do programa de governo da Dilma, apenas por medo que o tema seja explorado pelo PSDB de forma negativa e preconceituosa,  mas entendo que de qualquer forma esse assunto vai ser tratado no Congresso Nacional, e no Senado Federal.
Segundo a Folha de SP, a maioria dos juízes optam pelo aborto diante de gravidez indesejada, sem falar que em países desenvolvidos, a questão do aborto, eutanásia, união civil entre casais homosexuais, são questões superadas. Portanto, vamos parar de hipocrisia e de falso moralismo!

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

O voto do pecado e o poder satânico

Texto de Maria Inês Nassif

A campanha religiosa contra a candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, estava em andamento e foi subestimada pelo comitê petista. O staff serrista prestou mais atenção nisso. No dia 14 de setembro, a mulher de José Serra, Mônica Serra, em campanha para o marido no município de Nova Iguaçu, no Rio, falou a um eleitor evangélico, para convencê-lo a não votar em Dilma: "Ela é a favor de matar criancinhas", disse, segundo relato do jornal "O Estado de S. Paulo". Mônica quis dizer, usando cores muito, muito fortes, que Dilma era a favor do aborto, e portanto não merecia o voto de um evangélico. Não deve ter sido da cabeça dela - falou porque as pesquisas qualitativas do PSDB já deviam mostrar que a onda "antiabortista" estava pegando, embalada por bispos e padres da Igreja Católica e pastores evangélicos.

Da parte da ala conservadora da Igreja Católica, a articulação foi feita com alarde, de forma a induzir os fiéis de que a recomendação de não votar em Dilma, ou em qualquer outro candidato do PT, veio da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). A CNBB reagiu timidamente a essa ofensiva, com uma carta que foi também instrumentalizada pelos conservadores, que hoje não são poucos. "Falam em nome da CNBB somente a Assembleia Geral, o Conselho Permanente e a Presidência", diz a nota, para em seguida lembrar que o documento oficial sobre as eleições, tirado na 48ª Assembleia Geral, foi a "Declaração sobre o Momento Político Nacional", que não faz referência direta a candidatos ou partidos. Um trecho da carta oficial, todavia, foi apresentado aos fiéis paulistanos como prova de que a Igreja, como instituição, vetava o voto aos petistas. "(...) incentivamos a todos que participem (...), procurando eleger pessoas comprometidas com o respeito incondicional à vida, à família, à liberdade religiosa e à dignidade humana".

A campanha da Igreja conservadora contra Dilma está usando um sofisma: o "respeito incondicional à vida" torna a igreja antiabortista; o PT defendeu o aborto; logo, o voto em Dilma é pecado. É esse sofisma que foi colocado aos padres de São Paulo pela Regional Sul 1 da CNBB como uma ordem. A secção da CNBB no Estado está impondo a campanha política nas igrejas como obrigação de hierarquia: há uma determinação para que os padres falem na homilia que o voto ao PT é pecado. Os padres estão obrigados também a distribuir jornais de suas dioceses na porta das igrejas, que não raro colocam o veto ao voto no PT como uma determinação da "CNBB", sem especificar que é da CNBB da Regional Sul.

Veja o artigo completo : AQUI

domingo, 3 de outubro de 2010

Em Paranavaí deu Osmar Dias com 52,54%

Fonte TSE - Última atualização: 03/10/201022:12:09.
Governador
NúmeroCandidatoVotos% válidos
12OSMAR DIAS2369052.54%
45BETO RICHA2082946.19%
43PAULO SALAMUNI3750.83%
16AVANILSON870.19%
50LUIZ FELIPE BERGMANN840.19%
21AMADEU FELIPE200.04%
28ROBINSON DE PAULA50.01%
Votos% válidos
BRANCOS13202.73%
NULOS20294.19%

    Beto Richa é eleito Governador do Paraná



     Fonte TSE


    Governador
    NúmeroCandidatoVotos% válidos
    45BETO RICHA303977452.44%
    12OSMAR DIAS264534145.63%
    43PAULO SALAMUNI815761.41%
    50LUIZ FELIPE BERGMANN188260.32%
    16AVANILSON40410.07%
    21AMADEU FELIPE38260.07%
    28ROBINSON DE PAULA36420.06%
    Votos% Total
    BRANCOS2155143.4%
    NULOS3350835.28%