Apresentando

Apresentando
Apresentando os clássicos da Sociologia ao meu lado. Da esquerda para a direita: Karl Marx, Èmile Durkheim, Max Weber e Florestan Fernandes

terça-feira, 17 de agosto de 2010

ATOR SOCIAL OU MERO COADJUVANTE?

O conceito de Ator Social, difundido mais precisamente pelos trabalhos sociológicos de Max Weber, traz à tona uma discussão importante para a nossa atual conjuntura política, afinal, o entendimento científico da nossa sociedade nos leva a encarar uma outra realidade e assumir uma outra função; agora mais clara e sem sombras, (lembrando Platão em Alegoria da Caverna). A realidade social pode carregar uma diversidade de interpretações mas não pode ser uma outra coisa que não seja a própria realidade, onde a atuação do indivíduo, seja estabelecida de maneira orgânica.
   Prosseguindo com pensamento de esclarecer um pouco mais acerca do papel do indivíduo em sociedade, quero lembrar uma passagem interessante do nosso grande Sociólogo Florestan Fernandes, onde certa vez foi questionado por um jornalista que lhe perguntou porque o senhor não apóia o nome de Fernando Henrique Cardoso para Presidente da República e ele então respondeu: "ele é um sociólogo de posições claras, ao contrário do que se fala, ele sempre colocou em prática na sua vida pessoal e na sua atuação como professor a sua ideologia, sempre executou o que escreveu e não executou o que nunca disse ou pensou, portanto acredito ter respondido a sua resposta". Florestan Fernandes, nos deixou uma herança intelectual gigantesca e certamente está fazendo muita falta entre os poucos intelectuais que temos hoje no Brasil, foi deputado Federal na Constituinte e no seu discurso pronunciou que o grande desafio enquanto cientista era sair da burocracia intelectual e se tornar um intelectual orgânico a exemplo de Luís Inácio Lula da Silva, no entanto foi um deputado que deixou saudades na Câmara Federal e como professor ensinou várias gerações a  quebrar os elos da alienação que nos prendem e nos faz pensar, por exemplo, que o papel do educador não pode ser neutro mediante a sociedade na qual nós vivemos, 
   Portanto, como professor, acredito que nenhuma mudança, nenhuma transformação cidadã ocorrerá enquanto não tomarmos consciência, de que somos atores sociais, agentes da transformação, e vale lembrar que as "chaves" que soltam os que estão acorrentado, estão guardadas conosco, e o por pura coerção, nos pedem o tempo todo, para mantê-las guardadas.


"A Escola, a margem da vida, a margem da Política, é pura falsidade e hipocrisia"
                   (Vladimir Ilitch Ulianov, mais conhecido como Lênin)

Nenhum comentário: