Apresentando

Apresentando
Apresentando os clássicos da Sociologia ao meu lado. Da esquerda para a direita: Karl Marx, Èmile Durkheim, Max Weber e Florestan Fernandes

quarta-feira, 18 de março de 2015

As manifestações "pacíficas" do dia 15 de março!





Uma parcela significativa da sociedade paranavaiense saiu às ruas no último dia 15 de março, para "protestar", vestidos de verde-amarelo e com muita disposição, colocaram o bloco na rua para pedir, entre outros desejos, a intervenção militar, estado democrático, a saída da presidenta, moralidade na política e fim da corrupção praticada pelos políticos, é claro!
No Brasil, a data foi escolhida pelos seus organizadores, em âmbito nacional, não por coincidência, pois comemorávamos, na ocasião, o dia que a nossa, ainda, frágil democracia, completava 30 anos, sem dúvida uma data histórica e que merecia uma grande festa do povo brasileiro, afinal uma conquista pleiteada a duras penas, mas diante da atual conjuntura política econômica, assistimos, uma verdadeira "salada" de reivindicações, algumas, inclusive exigindo a monarquia, Salve Dom Pedro II, difícil de acreditar mas imagens captadas nos milhares de "selfies" provam a ignóbil ação de alguns indivíduos e grupos. Ora, parece que é uma obrigação ser politizado a qualquer custo, como se o pedigree intelectual que muito dessas pessoas nunca tiveram aparecesse agora em forma de revolta política, ou melhor de política infantilizada, semelhante à torcida de futebol, e o caminho mais fácil para se atingir esse status, é atacar a presidente, enfim, é só reproduzir um discurso e pronto, não imaginavam, que a coerção conjuntural os levasse a uma exposição ridícula. Eu não estive presente porque me deparei com um verdadeiro abismo de falta de politização e conhecimento histórico, palavras de ódio, machismo e cartazes desprovidos de consciência política. Tudo hoje é muito midiático, muitos não tem tempo para pesquisar, duvidar ou ler mais que uma página, não vi cartazes pedindo Reforma Política, ou qualquer referência ao nosso legislativo nacional, sou brasileiro e apoio a mobilização popular acreditando que seja a melhor maneira de assustar a classe política, mas daí, sair às ruas pedindo a “intervenção militar”, “prisão para Karl Marx”, “abaixo a pedagogia de Paulo Freire”, “impeachment da Presidenta” pra mim fica difícil a compreensão. Diante dos acontecimentos, chegamos a uma conclusão: precisamos mais do que nunca de uma Educação emancipadora, libertadora e crítica, por isso mais Paulo Freire, mais Marx, mas Weber mais Florestan Fernandes, mais Foucaut, mais Marilena Chauí, mais e mais ...Sociologia, Filosofia, História e Geografia, Artes e Letras…
Viva a Democracia!

Um comentário:

TSEscolar disse...

Meu amigo Carlos, mais uma vez um excelente texto, disse tudo. Parabéns!

Reginaldo