Apresentando

Apresentando
Apresentando os clássicos da Sociologia ao meu lado. Da esquerda para a direita: Karl Marx, Èmile Durkheim, Max Weber e Florestan Fernandes

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

PSS continua sem salário.

Se Já não bastasse o fato dos professores da rede pública estarem a quase três meses sem salários, agora por uma determinação da Secretaria de Estado da Educação, os professores lotados nos Núcleos Regionais deverão assumir as aulas em substituição aos contratados pelo Processo Seletivo Simplificado (PSS).
Quanto ao fato da substituição pelo pessoal dos Núcleos, seria, ao meu ver, um plano que pode ser muito desgastante para o governo nesse término de mandato, já que pedagogos (as) e documentadores poderão assumir as aulas que precisarem, nesse sentido, a Qualidade da Educação pode ser comprometida além de tumultuar as escolas, faltando pouco mais de um mês para o encerramento do ano letivo. 
Uma grande mobilização acontece amanhã em Curitiba, organizado pela  APP sindicato. No entanto Vamos aguardar uma posição do Governador Pessuti, para que o pagamento dos professores sejam honrados e que ele não jogue fora a confiança que os educadores deram a esse governo, no tocante à Educação.

3 comentários:

Anônimo disse...

É uma vergonha nós professores, estarmos a três meses sem salários e saber que talvez podemos ser dispensados?
Acho que a educação infelizmente está perdida mesmo, já não chega a falta de estrutura das nossas escolas, estamos sendo passados para trás.
Com isso jamais conseguiremos uma escola pública de qualidade. Porque tudo isso não aconteceu antes das eleições?
Alguém sabe nos responder?
Isso é uma vergonha!!!!

Professor Carlos disse...

Concordo com o seu comentário. Fico pensando e me questionando porque a nossa categoria sempre é a mais penalizada entre os servidores públicos estaduais, ou seja, quando atrasa salário é sempre dos professores, salário inicial do Estado sempre inferior comparado com outros servidores em início de carreira, e aí por diante...Falta comprometimento e uma política permanente de Educação, para que os Educadores (as) não sejam mais penalizados pela politicagem que permeia as decisões da Educação.
Obrigado pelo seu comentário!

Anônimo disse...

Pois é Professor Carlos, por que isso tudo não vai a tona da imprensa, será que também estão juntos com o governo, imagine se esse governo estivesse a quatro anos na gestão se só com poucos meses ele já está fazendo tudo isso com a educação.